Publicidade
Cotidiano
ALERTA

Polícia Militar decide não fazer greve ‘em respeito à população manauara’

De acordo com o presidente da Apeam, Gerson Feitosa, em consequência desse momento de crise que a população tem enfrentado no Estado as atividades irão continuar para defender a dignidade do manauara 07/01/2017 às 14:18 - Atualizado em 07/01/2017 às 15:45
Show whatsapp image 2017 01 07 at 13.27.37
A assembleia foi realizada na Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, neste sábado (7). Foto: Emanuel Mendes Siqueira/Divulgação
Mayrlla Motta Manaus (AM)

A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) não irá parar as atividades. A informação foi confirmada pelo Presidente da Associação de Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa, na tarde deste sábado (07), após assembleia realizada na Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, localizada na avenida Torquato Tapajós, nº 5.816, Zona Norte de Manaus.

De acordo com o presidente, em consequência desse momento de crise que a população tem enfrentado no Estado, as atividades irão continuar. “Em respeito a população que paga os impostos e acredita na Polícia Militar, nós decidimos não parar as atividades. Em respeito a população, para defender a família manauara, nós, policiais militares nos manteremos nas ruas, defendendo a dignidade da sociedade”, afirmou.

No entanto, Gerson alerta que se as reivindicações impostas pela categoria não forem atendidas pelo Governador do Amazonas, José Melo, eles devem parar as atividades. “Pedimos que a população nos compreenda se for preciso parar”, alertou.

Segundo o Sargento Pereirinha, a categoria entendeu que nesse momento uma greve não seria viável. “Em função da sociedade estar muito aterrorizada, a Polícia Militar não poderia deixar a sociedade a mercê da bandidagem. Decidimos em função da população que não vamos parar hoje. E sim, vamos continuar cobrando do governo uma posição até Abril”, explicou.

Ele explicou que as reivindicações como auxílio fardamento, promoções, armamento e porte de arma na carteira foram pauta na assembleia. “Acordamos que no dia 01, quando a Assembleia Legislativa do Amazonas [Aleam], voltar às atividades, nós estaremos lá durante ato público, juntamente com o Corpo de Bombeiros”, disse.

Publicidade
Publicidade