Publicidade
Cotidiano
SE ENTREGOU

Polícia prende vereador de Coari que estava foragido da Justiça por estelionato

Aldervan Souza Cordovil (PTB), o “Dr. Adeva”, se entregou na delegacia do município na noite de ontem. Ele permanece em cela especial 29/03/2017 às 10:29 - Atualizado em 29/03/2017 às 10:50
Show 95
Foto: Divulgação
Vinicius Leal

O vereador de Coari Aldervan Souza Cordovil (PTB), conhecido como “Dr. Adeva”, que estava foragido da Justiça do Amazonas pelo crime de estelionato, foi preso na noite de ontem, terça-feira (29), após se entregar na delegacia do município, localizado a 363 quilômetros de Manaus, na companhia de dois advogados. Ele permanece preso em uma cela especial.

As buscas cessaram ontem à noite, por volta das 22h50, após ele comparecer à delegacia. “Ele assinou o mandado de prisão preventiva e depois o recolhemos à prisão”, informou o delegado Mauro Duarte. “Ele ficou em prisão especial nas dependências da delegacia em razão de exercer a função de advogado. É uma sala separada com banheiro e cama”, disse.

De acordo com o delegado, o vereador se entregou naquele horário da noite para não fazer alarde. “Segundo ele próprio era para não chamar atenção das pessoas, já que havia sido muito exposto na imprensa. Tanto que ontem mesmo ele queria ser submetido a exame de corpo de delito, o que foi negado. Apenas hoje seria possível realizar o exame”, afirmou o delegado Mauro Duarte.

Antes de se entregar na delegacia à noite, os advogados do vereador Aldervan já haviam comparecido à unidade policial afirmando que o foragido se entregaria às 15h e pedindo que as buscas fossem encerradas. Porém, segundo o delegado Mauro Duarte, o vereador não se apresentou no horário combinado e as buscas prosseguiram.

Por volta das 15h30, com as buscas restabelecidas, a equipe de investigação da Polícia Civil de Coari recebeu denúncia anônima que o vereador estava escondido em um sítio do pai localizado na estrada Coari-Mamiá, próximo ao aeroporto. Os policiais foram ao local, revistaram o sítio, mas não encontraram Aldervan, mas apreenderam duas espingardas calibre 28, uma do caseiro e outra do pai do vereador.

Estelionato

O vereador Aldervan é acusado na Justiça de estelionato por apresentar, na condição de advogado, um comprovante de pagamento de fiança falsificado no valor de R$ 17,6 mil em agosto 2016. O falso comprovante foi usado em favor do então vereador Márcio Almeida, que estava preso sob a suspeita de receptar uma motocicleta roubada no sítio dele.

Ainda segundo Duarte, o vereador chegou a ameaçá-lo de que caso o mandado de prisão preventiva por estelionato fosse revelado à imprensa revelaria um suposto dossiê contendo imagens e vídeos contra o delegado.

Investigações

O próximo passo nas investigações, segundo o delegado Mauro Duarte, é o político ser interrogado nos dois outros inquéritos que apuram fraude no recolhimento de fiança, que será feito na tarde de hoje.

Publicidade
Publicidade