Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
GARIMPO

Políticos e garimpeiros participaram de ataques ao Ibama em Humaitá, diz PF

Hoje (27), 28 mandados judiciais foram cumpridos no município contra envolvidos no incêndio criminoso que destruiu móveis e imóveis do Ibama, ICMBio e Incra em outubro do ano passado



e202160d-ea18-4648-954f-34a8f40e14ea.jpg Foto: Divulgação
27/03/2018 às 14:33

Políticos e garimpeiros participaram dos ataques a móveis e imóveis do Ibama, ICMBio e Incra ocorridos em outubro do ano passado no município de Humaitá, a 590 quilômetros de Manaus. A informação foi confirmada hoje (27) pela Polícia Federal de Rondônia, que deflagrou uma operação para prender os envolvidos nos incêndios criminosos.

Os ataques, segundo a PF, ocorreram em represália a uma operação dos órgãos ambientais que resultou na apreensão de dragas e embarcações usadas na atividade de garimpo ilegal no município. Hoje, 28 mandados judiciais foram cumpridos na cidade na Operação “Lex Talionis”, entre 15 de busca e apreensão e 13 de prisão temporária. Ao todo, 120 policiais federais participam da operação.



“Durante as investigações, foi possível identificar que garimpeiros junto de alguns políticos do município deram início à manifestação violenta que ocasionou a destruição de bens públicos da União e de bens particulares de servidores públicos federais”, divulgou a PF. “Foram obtidos indícios de que os políticos incentivaram os manifestantes a depredarem os bens dos órgãos públicos. A Polícia Federal identificou as autoridades políticas e também alguns dos executores dos atos criminosos”.

Os incêndios criminosos aos bens públicos causaram prejuízo de R$ 1.101.052,87 para os cofres federais, conforme a PF. Os crimes investigados na são associação criminosa e dano qualificado, que preveem penas que somadas podem chegar a seis anos de prisão.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.