Publicidade
Cotidiano
Notícias

Polo Industrial de Manaus fecha 2014 com R$ 87,2 bilhões

Apesar de ser o maior valor nominal já registrado pelo polo industrial, crescimento foi de 4,74%, o menor em seis anos 10/02/2015 às 12:17
Show 1
Para o superintendente em exercício da Suframa, Gustavo Igrejas, resultado deve ser comemorado, considerando o cenário econômico instável de 2014
Natália Caplan Manaus (AM)

O Polo Industrial de Manaus (PIM) encerrou o ano de 2014 com faturamento de R$ 87,2 bilhões (US$ 37 bilhões). Na moeda brasileira, o valor representa um aumento de 4,74% em relação ao ano anterior (R$ 83,2 bilhões). Este é o maior valor nominal já registrado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) a partir dos dados apurados junto às empresas incentivadas do parque fabril local, utilizados na composição dos Indicadores Industriais do PIM. Em dólar, o faturamento teve recuo de 3,83% na comparação com 2013 (US$ 38.5 bilhões).

Apesar do recorde em números absolutos, o crescimento de 4,74% em 2014 foi o menor desde 2009. Em 2013, a alta no faturamento foi de 13,3%.

O superintendente, em exercício, da Suframa, Gustavo Igrejas, afirmou que o resultado “é até positivo diante do cenário econômico instável que se apresentou em 2014, principalmente devido aos desafios que enfrentamos”.

Dentre os segmentos produtivos que tiveram destaque no ano passado, o Eletroeletrônico (incluindo os Bens de Informática) representou quase metade (49,26%) do faturamento total do PIM em 2014, com R$ 42,8 bilhões (US$ 18.2 bilhões).

Isolado, o setor de Informática representou 16,51% do total faturado no Polo Industrial, desempenho nunca registrados nos Indicadores, superando inclusive o setor de Duas Rodas, que faturou R$ 13,6 bilhões ou 15,71% do total.

Em seguida, vêm os subsetores Químico (12,53%), Termoplástico (5,05%) e Metalúrgico (4,59%). Outros segmentos somam 12,85% do total faturado pelo PIM em 2014.

Destaques

O ano de 2014 foi ano de Copa do Mundo de futebol. Tradicionalmente, o evento provoca aumento da demanda por televisores. No ano passado, a Copa elevou a procura por aparelhos de tela grande e baixo custo, o que provocou crescimento nas TVs de Plasma, mais baratas que as de LCD/LED.

A produção de televisores com tela plasma cresceu 89,16% (1,8 milhão de unidades produzidas em 2014 ante 957 mil em 2013). Os condicionadores de ar tipo split também registraram aumento de produção no comparativo com o ano anterior (23,74%).

Outros produtos que apresentaram crescimento na produção em 2014 foram os monitores LCD para informática (22,70%), condicionador de ar de janela (17,79%), receptor de sinal GPS (16,46%), forno microondas (16,27%), aparelhos DVD/Blu-Ray (14,65%) e tablets (11,27%).

Publicidade
Publicidade