Quinta-feira, 20 de Junho de 2019
POLÍTICA

Por 7x4, Chico Doido mantém o mandato de prefeito de Iranduba

Ele foi absolvido pela Câmara de Vereadores da acusação de desviar R$ 4,2 milhões do Instituto de Previdência de Iranduba (Inprev)



chico_B4EF6BCE-0331-4EAD-8DB2-26034C85B9BD.jpg Foto: Divulgação
03/06/2019 às 21:19

Com sete votos, o prefeito Francisco Gomes - conhecido como Chico Doido (DEM) - foi absolvido da acusação de desvios de repasses, pela Câmara de Vereadores de Iranduba, município da  Região Metropolitana de Manaus. A Comissão Processante deu início às apurações do suposto desvio de R$ 4,2 milhões do Instituto de Previdência de Iranduba (Inprev) durante os anos de 2017 e 2018 depois que uma servidora constatou a falta de repasses e denunciou o caso.

Os vereadores  Jackson Pinheiro (PMN), Kelison Dieb (MDB), Larissa Gomes (PSDB), Nedy Vale (PP), Pepe (Pros), Professor Edson (PSB) e Zé Augusto (MDB) votaram contra a cassação de Chico Doido, acompanhando o parecer da Comissão Processante.

Os vereadores Alessandro Carbajal (PTN), George Reis (PV), Glece Alves (PR), Josué Lomas (PRB) e Reginaldo Santos (PV) votaram pela cassação, na sessão extraordinária ocorrida no último sábado, na Câmara da cidade. A vereadora Geine Oliveira (PCdoB) não compareceu à votação.

A sessão extraordinária foi realizada às 15h e teve duas votações que poderiam resultar na cassação do prefeito. Uma delas era pela prática de atos contrários à lei, e a outra por omissão na defesa de bens, direitos e/ou interesses do município. Chico Doido foi absolvido por ambas.

Acertos

O vereador de oposição George Reis (PV) disse que o resultado foi previamente costurado pelos vereadores membros da Comissão Processante com o prefeito.

"A comissão processante fez dois pareceres, um favorável e um contra, e foi barganhar com o prefeito. Isso é uma coisa importante de mencionar. Na primeira vez que a gente o cassou, o grupo do prefeito conseguiu a Secretaria de Saúde e agora fizeram a mesma coisa. Não sei ainda qual a secretaria, mas vamos já saber", afirmou.

A reportagem tentou contato com Chico Doido mas não teve as ligações atendidas.

Processo

A servidora municipal Roseane Corrêa denunciou à Câmara Municipal que a prefeitura deixou de repassar mais de R$ 4,2 milhões ao Inprev. Antes da denúncia que deu origem ao processo de cassação, servidores municipais e terceirizados fizeram vários protestos para reclamar de salários atrasados e falta de recebimento de benefícios.

Em 2017, a Câmara apurou irregularidades na contratação de empresas para o transporte escolar sem realização de processo licitatório e superfaturamento nestes contratos.

Receba Novidades

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.