Publicidade
Cotidiano
ELEIÇÕES 2018

PR oficializa Alfredo Nascimento e Marcelo Ramos como pré-candidatos em 2018

Legenda lançou pré-candidaturas de Alfredo ao Senado e de Marcelo à Câmara nas eleições deste ano 05/03/2018 às 14:45
Show show encontro do pr 02
Além de Alfredo Nascimento e Marcelo Ramos, o PR elaborou uma lista de 48 pré-candidatos as 24 vagas da ALE-AM (Foto: Divulgação)
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

O congresso do Partido da República (PR) confirmou as pré-candidaturas do presidente estadual da legenda, deputado federal Alfredo Nascimento ao Senado Federal, o de Marcelo Ramos para deputado federal e uma chapa própria de 48 candidatos à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM). Durante o encontro, as lideranças da legenda evitaram falar sobre coligações e alianças.

“Estamos organizando o partido e quando chegar a hora vamos estabelecer as pré-candidaturas para disputa do governo do Estado e quem iremos apoiar para Presidência da República”, afirmou Alfredo Nascimento.

Questionado sobre compor aliança com o governador Amazonino Mendes (PDT), senador Omar Aziz  (PSD) e o prefeito Artur Neto (PSDB), Alfredo afirmou que ainda é muito cedo para falar do assunto e disse que não possui nenhuma restrição a aliados. “Não digo que essa ou aquela aliança pode ou não pode ocorrer. Primeiro organizamos o time para depois partir para a disputa”, assegurou.

O projeto do partido, segundo Alfredo, é juntar candidatos para formar uma chapa forte e eleger o maior número de deputados federais possíveis. "Nós ainda não discutimos as coligações que vamos fazer, mas estamos organizando o partido para que ele se fortaleça e possamos sair com candidaturas boas para concorrer aos diversos cargos", disse.

O ex-deputado estadual Marcelo Ramos disse que os entendimentos estão adiantados para um arco de aliança que garanta a eleição de ao menos três deputados federais, com a meta de atingir 170 mil votos.

Sobre a composição com o deputado federal Silas Câmara, que declarou apoio à candidatura de Alfredo, na disputa por uma vaga na Câmara, Marcelo Ramos afirmou que a parceria não traz prejuízos. “Ninguém faz o coeficiente de deputado sozinho. É preciso uma coligação e a eleição do Alfredo depende de um arco de aliança. Nós estamos unificados em relação a isso, não apenas o deputado Silas, como o deputado Átila manifestaram apoio ao projeto de Alfredo”, declarou.

Marcelo disse que a sua pré-candidatura à Câmara dos Deputados é a melhor opção para o momento político do partido.  Mas não descarta a vontade de disputar o governo do Estado. “A candidatura para marcar posição já tive em 2014 e só volto a ser candidato ao governo quando reunir condições também de alianças para ter uma candidatura viável. Tenho certeza que isso vai acontecer em 2022”, avaliou.

Questionado se mantém diálogo com o senador Eduardo Braga (PMDB), Marcelo afirmou que a convivência é sadia mesmo a dupla apresentando um histórico de conflitos. “O meu aliado é o Alfredo. Se o Braga estiver junto, estaremos juntos. O eleitor precisa entender que na política nem tudo é como a gente quer. As pessoas podem questionar minhas decisões, mas não a minha conduta”, diz.

PSB tenta costurar coligação

Carlos Siqueira foi reeleito presidente nacional do PSB no sábado durante o congresso nacional da sigla. Segundo ele, o partido adotará uma de três posições na eleição presidencial deste ano: candidatura própria, coligação ou neutralidade.

De acordo com o presidente de honra do PSB no Amazonas, deputado estadual Serafim Corrêa, os diretórios estaduais têm liberdade para compor as alianças e a legenda já vem conversando com PCdoB, PT, PP e o Podemos. 

“Ainda não tem nada fechado, mas é entre esses cincos partidos que há diálogo. Existem outras possibilidades a depender das mudanças significativas que irão ocorrer em vários partidos. Quando fechar o prazo da janela partidária vamos ter claro o quadro e avançar em relação às alianças. É prematuro afirmar se iremos ou não encabeçar uma candidatura majoritária para o executivo”, disse Serafim.

Em relação às suas pretensões políticas para a eleição, marcada para o dia 7 de outubro, Serafim disse que em princípio visa à reeleição para deputado.

Propaganda eleitoreira

Indagado sobre a denúncia em que é suspeito de realizar propaganda eleitoreira de uma ação social destinada a pescadores do interior do Estado que fornece “gelo de graça, Alfredo negou a existência de irregularidades. “Não houve ilegalidade e isso vai ser comprovado pelo Ministério Público. Não houve pedido de voto e nem mencionada a candidatura”, disse.

Publicidade
Publicidade