Publicidade
Cotidiano
Notícias

Prefeito de Manaus, Artur Neto deve anunciar nesta quinta (15) as mudanças no secretariado

O anúncio sobre quais pastas deverão ser extintas e subordinadas a outras deverá ser feito nesta quinta-feira (15), conforme afirmação de Artur 15/01/2015 às 09:28
Show 1
Artur também anunciou a intenção de enxugar as despesas e tomar medidas para tornar o fisco municipal mais eficiente
Natália Caplan ---

O anúncio da reforma administrativa e da troca do secretariado da Prefeitura de Manaus deve ser feito ainda hoje pelo prefeito, Artur Virgílio Neto (PSDB). Entre as possibilidades já adiantadas por ele, estão a extinção de algumas pastas e a realização de fusões entre as mesmas para poupar gastos e aprimorar a administração da cidade. “Eu ia fazer isso (anúncio) hoje, mas é uma coisa delicada”, disse.

A afirmação foi feita pelo gestor na tarde de ontem, durante a divulgação dos contemplados pelo Programa Bolsa Universidade 2015, no Palácio do Rio Branco, no Centro. Segundo ele, com vários compromissos na agenda, a preferência foi resolver a questão com calma, para não pegar ninguém de surpresa. “Devemos extinguir algumas secretarias e isso dá certo trabalho. Tenho que conversar com alguns secretários e avisá-los primeiro”, enfatizou.

As mudanças estruturais de corpo técnico da gestão de Artur incluem a perda de “status” de secretaria. Estas seriam subordinadas a outras pastas de maior porte do Município. Atualmente, a Prefeitura de Manaus possui 25 pastas, das quais 18 são secretarias e sete são órgãos de administração indireta. Há alguns dias, inclusive, o prefeito chegou a declarar que assumirá a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf).

Toda essa mudança faz parte do plano de Artur Neto para a segunda parte de seu mandato na administração da capital amazonense. Diante de mais dois anos de trabalho pela frente, com a expectativa de a inflação superar o índice previsto e a crise assombrando os brasileiros, ele quer “repaginar” e diminuir os gastos. “O país e as pessoas estão empobrecendo. Temos que passar por este ano duro”, disse.

De acordo com o gestor, é preciso ter cautela para garantir que a capital amazonense não se abale diante das circunstâncias econômicas do país. “Estamos trabalhando em um pacote de enxugamento de despesas para nos ajudar a conter recursos para investir naquilo que a população necessita; investir na cidade. Temos que ajustar a máquina de Manaus às nossas possibilidades. Com ou sem crise, não vamos deixar de fazer”, ressaltou o prefeito.

Sistema urbano precisa de ‘pacto’

Ainda durante o evento do Bolsa Universidade, o prefeito de Manaus, Artur Neto, comentou sobre a possibilidade do aumento da tarifa do transporte coletivo urbano. Porém, não quis falar em números, apenas sobre a defasagem deixada no sistema pela administração anterior. “Não nego que, se houvesse uma inflação moderada, não haveria necessidade de reajuste. Mas a situação está insustentável”, afirmou.

Ele também enfatizou as responsabilidades dos envolvidos no melhoramento do setor e que espera que cada um faça a sua parte para evitar, ao máximo, que os usuários sejam prejudicados. “Assumo os nossos erros, o atraso na implantação dos corredores viários, por exemplo, como o da (avenida) Constantino Nery, que está atrasado”, afirmou. “Mas vamos implantar um por mês e trabalhar para terminar logo”, completou.

Artur acredita que deve haver um “pacto” entre Prefeitura, Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Manaus, empresários do setor e Governo Federal. “A solução para o trânsito tem que vir de cima, com respeito e transparência”, disse.

Publicidade
Publicidade