Publicidade
Cotidiano
PRISÃO

Prefeito de Tapauá é preso por desvio de verba pública durante operação do MPE

Também são alvos o presidente da Câmara de Tapauá, Alvemir Oliveira Maia, o empresário Walter de Oliveira Maia e o representante do município Euclides Guedes 28/11/2017 às 08:23 - Atualizado em 28/11/2017 às 08:57
Show zezito 33333
O prefeito foi preso na manhã desta terça-feira (28) (Foto: Antônio Lima)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

O prefeito do município de Tapauá, Zezito (PMDB), foi preso na manhã desta terça-feira (28) durante a Operação Tapauara deflagrada pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM). Mandados de prisão preventiva, de condução coercitiva e de busca e apreensão estão sendo cumpridos na capital e no município do Estado. As informações foram confirmadas pelo procurador-geral de justiça Fábio Monteiro.

Também são alvos da operação o vereador e presidente da Câmara de Tapauá, Alvemir Oliveira Maia, o empresário Walter de Oliveira Maia e o representante do município Euclides Guedes.


Foto: Divulgação/Ministério Público

"O prefeito de Tapauá acaba de ser preso. Um avião nosso já se encontra no municipio para trazer os presos para capital. Alguns mandados também estão sendo cumpridos aqui", afirmou o procurador-geral Fábio Monteiro.

Conforme a assessoria de imprensa do MP-AM, a operação iniciou após denúncia que levou à investigação de indícios de pagamento de propina a servidores públicos e vereadores do município, por intermédio da empresa V. W. Comércio, Construções e Transportes LTDA, administrada pelo irmão do vereador Alvemir Maia, presidente da Câmara, o empresário Walter Oliveira Maia, "Waltinho", que também teve prisão preventiva decretada.

As técnicas de investigação utilizadas foram a coleta de dados em fonte aberta de acesso restrito, acompanhamentos, vigilâncias, Ação Controlada e Medidas Cautelares Sigilosas, devidamente autorizadas pelo Poder Judiciário.

Organização criminosa

De acordo com as investigações, a organização criminosa atuava na Prefeitura de Tapauá, suspeitos de operacionalizar um esquema de corrupção generalizada, através de pagamento de propinas e mensalinho a vereadores para aprovação de medidas e aprovação de processos licitatórios.

Segundo o Ministério Público, a operação tem como objetivo cumprir dez mandados de prisão preventiva; nove mandados de condução coercitiva; nove mandados de busca pessoal; 26 medidas de busca e apreensão, devendo ser apreendidos documentos, celulares, computadores e veículos na prefeitura, residências e empresas investigadas.

Prefeito

O prefeito José Bezerra Guedes, conhecido como "Zezito", foi eleito com 40,26% dos votos. 

Publicidade
Publicidade