Publicidade
Cotidiano
DETERMINAÇÃO

Prefeito do município de Nhamundá terá que devolver R$ 3 milhões aos cofres públicos

Entre as irregularidades apontadas pelo conselheiro-relator Mario de Mello, do TCE-AM, está a ausência de comprovação de diversas obras apresentadas na prestação de contas 20/02/2018 às 20:56
Show prefeito
Gledson Hadson Paulain Machado. Foto: Reprodução/Internet
acritica.com Manaus (AM)

O colegiado do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) decidiu em sessão nesta terça-feira (20), por unanimidade, reprovar as contas do prefeito do município de Nhamundá, Gledson Hadson Paulain Machado, referentes ao exercício de 2015. O ex-prefeito deverá devolver aos cofres públicos  o montante de R$ 3,3 milhões, entre multas e alcance, pelas irregularidades detectadas pelos técnicos do TCE.

Entre as irregularidades apontadas pelo conselheiro-relator Mario de Mello, em ratificada pelo colegiado, está a ausência de comprovação de diversas obras apresentadas na prestação de contas, dentre elas a urbanização de vias públicas, a recuperação de calçadas e a construção de uma escola municipal. Além disso, em sua gestão, a Prefeitura não cumpriu diversos requisitos no registro de preço de materiais de construção, bem como realizou contrato com empresas de construção não inscritas junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-AM).

O prefeito Gledson Machado, conhecido como Nenê Machado, também deverá pagar uma multa no valor de R$ 24 mil por cometer grave infração à norma legal e causar dano injustificado ao erário.

As contas do presidente da Câmara Municipal de Canutama, sob responsabilidade de Valtemar de Freitas Oliveira, também foram reprovadas devido à ausência de informações na prestação de contas anual, referente ao exercício de 2015. O presidente da Câmara deve pagar R$ 18 mil entre multas e alcance.

Publicidade
Publicidade