Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
Notícias

Prefeitos se reúnem para falar sobre o desafio de administrar no interior do Amazonas

A secretária de Estado de Governo e deputada federal licenciada Rebecca Garcia (PP) afirmou que a inadimplência dos municípios é a grande preocupação



1.gif Discussão sobre as dificuldades dos municípios foi organizada pela Associação Amazonense dos Municípios (AAM)
12/06/2013 às 08:32

A inadimplência dos municípios no Cadastro Único de Convênios (CAUC) - uma espécie de Serasa da administração pública - é um dos principais problemas dos primeiros meses das novas gestões no interior. Os relatos foram feitos, nesta terça-feira (11), à reportagem, durante o Fórum Amazonense dos Municípios, realizado na zona Centro-Sul da cidade pela Associação Amazonense dos Municípios (AAM).

A secretária de Estado de Governo e deputada federal licenciada Rebecca Garcia (PP) afirmou que a inadimplência dos municípios é a grande preocupação e impedimento para que os mesmos recebam repasses dos convênios do Governo Federal. Ela destacou que o repasse de verbas, por meio de convênios, é uma forma dos municípios do interior colocarem em prática ações e programas que melhorem a qualidade de vida da população.



“A gente quer dar o apoio necessário para que os prefeitos possam colocar suas contas em dia, para que possa viabilizar o maior número de recursos possíveis para as prefeituras”, declarou Rebecca Garcia.

A secretária de Governo afirmou que o assunto é tratado com prioridade, especialmente porque, à exceção de Itacoatiara, Coari e Presidente Figueiredo, todos os demais municípios do interior do Estado dependem dos repasses de verbas dos Governos do Estado e Federal para administrar as cidades. “Com exceção desses municípios, todos os demais precisam dos repasses para viver”, declarou.

O prefeito do município de Urucará (a 261 quilômetros a leste de Manaus), Felipe Antônio, declarou que os primeiros meses da gestão dele na cidade foram para organizar as contas do município. Segundo Felipe Antônio, o ex-prefeito deixou Urucará inadimplente em seis itens junto ao CAUC. “O prefeito deveria ter organizado os documentos e deixado para o que entra. Mas não. Ficamos procurando documentos”, declarou.

Felipe Antônio disse que a partir da organização dos documentos e das ações que foram necessárias para deixar o município com a ficha limpa, o foco agora é se inteirar das possibilidades de convênio. O prefeito afirmou que o Fórum da Associação Amazonense dos Municípios foi importante para esclarecer sobre obrigações e verbas junto ao Governo Federal. “Estamos com cinco meses de governo e o Fórum é importante para esclarecer a gente”, declarou.

A prefeita de Anori (a 195 quilômetros a oeste de Manaus), Sansuray Xavier (PSD), afirmou que o município que ela administra também está em busca de se organizar em relação à questão da inadimplência do CAUC. “Esse Fórum está passando informações muito importantes, especialmente nesse momento que os municípios estão tratando de parcelamento das dívidas”, declarou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.