Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Notícias

Prefeitura de Manaus deve desembolsar R$ 4,56 mi para quitar dívida judicial

A obrigação do Governo do Estado com esse tipo de pagamento é significativamente menor. De acordo com dados publicados no site do TRT, o Executivo estadual tem uma fatura de R$ 824,85 mil a ser quitada em precatórios



1.jpg Precatórios resultam de condenações judiciais do poder público e podem ser quitados em parcelas, em até 15 anos
15/02/2013 às 07:44

A Prefeitura de Manaus precisa desembolsar mais dinheiro este ano para quitar os precatórios de natureza alimentícia (R$ 4,56 milhões), no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT-11). No ano passado, os precatórios estipulados para serem pagos pelo município giravam em torno R$ 2,87 milhões, segundo o mesmo relatório do Tribunal.

A obrigação do Governo do Estado com esse tipo de pagamento é significativamente menor. De acordo com dados publicados no próprio site do TRT, o Executivo estadual tem uma fatura de R$ 824,85 mil a ser quitada em precatórios. No exercício de 2012, o depósito destes valores era de R$ 889,64 mil.



A assistente chefe do setor de precatórios do órgão, Inalda Mitoso, explicou que os valores registrados estão relacionados somente a débitos de natureza alimentícia, ou seja, avisos prévios, décimo terceiro, direitos de trabalhadores que prestaram serviço tanto ao Estado quanto ao município e não receberam o pagamento combinado.

Junto ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), o TRT-11 é um dos órgãos do poder judiciário responsável pelo pagamento dos beneficiários.

No âmbito do TJ-AM, o número referente aos depósitos programados para 2013 foi publicado no Diário da Justiça Eletrônico (DJ-e) de 29 de agosto de 2012. Pelo menos três precatórios de natureza comum constam na previsão orçamentária de 2013 do Estado. Outros quatro da mesma natureza e dois de natureza alimentícia estão na conta a ser paga pela Prefeitura de Manaus.

Pendentes

O DJ-e também aponta a lista acumulada de precatórios dos entes públicos devedores que existem na Corte. Conforme o artigo 29, da Resolução nº 10 /2010, cabe à Central de Precatório “elaborar lista consolidada com todos os credores, entes devedores e natureza dos créditos que ainda se encontram pendentes de pagamento”.

O Estado sozinho possui pendência no pagamento de 85 precatórios de natureza alimentícia e 15 de natureza comum. Já a Prefeitura de Manaus conta com 16 de natureza alimentícia e 26 de natureza comum. A especificação destes dados será finalizada e enviada ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que acompanha este pagamento. (ver Saiba Mais)

Vale lembrar que tanto o Estado quanto a prefeitura podem fazer uso do regime especial, que admite o pagamento dos precatórios em até 15 anos. Desta forma, no que tange ao município de Manaus, o subprocurador geral, Rafael Albuquerque de Oliveira, comentou que, para o exercício de 2013, está previsto o pagamento de 17 precatórios, sendo 11 remanescentes do parcelamento e seis acrescidos no exercício de 2013, cujos valores, somados e acrescidos de juros, atingem o montante aproximado de R$ 15,68 milhões, junto ao TJ-AM. “Convém informar que o Município de Manaus reserva em seu orçamento montante suficiente para o pagamento da próxima parcela a vencer em 31/12/2013, pretendendo adimplir suas obrigações nos termos da legislação pátria”, finalizou.


Mais de Acritica.com

23 Fev
ERALDO_LOPES_C44670D7-0ED7-41F9-95AF-E9CFF686E236.JPG

Pró-Menor Dom Bosco: novo local para continuar com missão social

23/02/2020 às 14:08

Projeto direcionado para jovens em vulnerabilidade social saiu do bairro Alvorada 2, Zona Centro-Oeste de Manaus, para se fixar no bairro Zumbi, Zona Leste da capital. O diretor da instituição, padre Felipe Bauziére lidera três frentes de trabalho: Menos aprendiz, Sonhar com futuro e Construir o futuro


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.