Sábado, 19 de Junho de 2021
Vacinação dos animais

Prefeitura realiza vacinação antirrábica em cães e gatos nas áreas de risco de enchente

A vacina antirrábica deve ser aplicada uma vez ao ano, para garantir a proteção de cães e gatos contra a doença



ac_14charge_14_5F563889-4232-43F0-8606-C82EC3FAD778.jpg Foto: Divulgação / Secom
14/05/2021 às 08:34

Seguindo o Plano de Contingência para Enfrentamento do Evento Enchente, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) Dr. Carlos Durand, da Prefeitura de Manaus, tem executado a vacinação antirrábica de cães e gatos nas áreas de bairros em risco de enchente. A ação já atendeu comunidades nos bairros Educandos, São Jorge e Centro, com a imunização de 529 animais (373 cães e 156 gatos).

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, explica que a vacinação protege os animais contra a raiva, que é uma zoonose que pode ser transmitida por cães e gatos para o ser humano. “Essa mobilização é mais uma das ações planejadas e executadas pela secretaria municipal de Saúde, para a prevenção de doenças e proteção da população de Manaus”, destaca Shádia

Ela também destaca que a vacina antirrábica deve ser aplicada uma vez ao ano, para garantir a proteção de cães e gatos contra a doença.

O CCZ oferece a vacina antirrábica para cães e gatos durante todo o ano em postos fixos, além de realizar anualmente a campanha de vacinação antirrábica com ações de casa em casa. Mas, conforme informa a chefe do setor de Remoção e Captura do CCZ, bióloga Shelley Sâmia de Sá Fernandes, no período de cheia dos rios é feita a busca ativa para identificar animais que não foram vacinados na campanha do ano passado ou que nasceram após o período de campanha.

“Com a cheia dos rios, os animais que normalmente vivem nas ruas ou do lado de fora das casas, passam a viver dentro do domicílio, o que aumenta o risco de acidente com mordedura ou arranhão. E, caso os animais não tenham recebido a vacina anualmente, podem contrair a raiva e transmitir para o ser humano. Por isso é importante fazer a busca ativa e imunizar os animais”, afirma Shelley

O trabalho do CCZ tem sido executado por uma equipe formada por vacinadores e biólogos, e vai seguir para atender as comunidades de acordo com o ritmo de inundação das áreas.

Sinan

Além da vacinação antirrábica, o CCZ faz monitoramento dos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan/Ministério da Saúde), para vigilância de acidentes com animais peçonhentos, acompanhando também as notificações dos casos de leptospirose, zoonose transmitida pelo contato com urina de animais infectados, principalmente de ratos, ou água e lama contaminadas pela bactéria Leptospira.

“A partir das ocorrências notificadas no Sinan, é possível organizar visitas zoosanitárias para vigilância ambiental, quando é feita avaliação da situação e as intervenções necessárias para controle e prevenção de doenças”, informa Shelley Fernandes.

Serviços

O CCZ mantém atualmente dois postos de vacinação antirrábica na rotina de serviço, durante todo o ano, na sede do CCZ, na avenida Brasil, no bairro Compensa, zona Oeste, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h; e na Unidade Móvel do CCZ, instalada na minivila olímpica do Coroado, na avenida Cosme Ferreira, bairro Coroado, zona Leste, também de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h.

 



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.