Publicidade
Cotidiano
CANDIDATAS 'LARANJAS'

Presidente Bolsonaro decide demitir ministro Bebianno após vazamento de áudios

Exoneração do ministro deve ser oficializada na edição do Diário Oficial da União de segunda-feira 15/02/2019 às 21:33
Show ministro 07eeb9c7 f85d 4c55 afad 6ec2b8a05936
Gustavo Bebianno. Foto: Reprodução/Internet
acritica.com Brasília (DF)

Depois de três dias de crise, Gustavo Bebianno foi demitido da Secretaria-Geral da Presidência da República pelo presidente Jair Bolsonaro. A demissão de Bebianno aconteceu após reunião com Bolsonaro, acompanhado por ministros e pelo vice, Hamilton Mourão. 

A saída dele do governo será formalizada na segunda-feira (18), com publicação no Diário Oficial da União. Bolsonaro deixou o ato de exoneração assinado. Pessoas próximas ao ministro confirmaram que ele será exonerado e que não há volta na decisão de Bolsonaro.

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, a conversa entre os dois teria sido ríspida. A gota d’água, segundo integrantes do Planalto, foi o vazamento de diálogos privados, exclusivos da Presidência, entre Bolsonaro e Bebianno ao site "O Antagonista" e à revista "Veja".

A demissão de Bebianno foi uma reviravolta na crise instalada no governo, pois na manhã de ontem, Bebianno foi informado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que permaneceria no cargo, por decisão do próprio Bolsonaro depois de várias conversas com seus auxiliares, especialmente os militares, que advogaram pela permanência do ministro.

A preocupação dos militares era evitar a imagem de que os filhos do presidente — especialmente Carlos Bolsonaro, o pivô da crise — teriam tal influência sobre o governo.

A crise

Envolvido em denúncias de que seu partido usou candidatos laranja a deputado para acessar recursos públicos de financiamento de campanha, Bebianno entrou em um processo de fritura no governo no início desta semana, capitaneado por Carlos Bolsonaro, mas endossado pelo presidente.

Em entrevista ao jornal O Globo, na terça-feira, para mostrar que não havia crise no governo por conta das denúncias, Bebianno afirmou que havia conversado três vezes com Bolsonaro. No dia seguinte, Carlos usou sua conta no Twitter para negar as conversas e chamou Bebianno de mentiroso.

Em seguida, Carlos colocou um áudio do pai falando a Bebianno: “Gustavo, está complicado eu conversar ainda, então não vou falar com ninguém a não ser o estritamente essencial. E estou em fase final aqui de exames para possível baixa hoje, tá ok? Boa sorte aí”.

O próprio presidente retuitou as mensagens de Carlos no início da noite e, em entrevista ao jornal da Record, afirmou que Bebianno teria que se explicar e poderia deixar o governo.

Publicidade
Publicidade