Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019
CRISE

Presidente da Bolívia, Evo Morales, anuncia sua renúncia pela televisão

Anúncio foi feito neste domingo, poucas horas após o comandante-chefe das Forças Armadas e da Polícia da Bolívia sugerir que ele renunciasse; reeleição de Evo foi questionada e novo pleito chegou a ser marcado.



000_1M57QX_347CCC53-4FA8-456C-BDE3-8486CC04C8DC.jpg
News thumb afp d084093c bf21 4ede 853c 0cfb6068260d AFP
10/11/2019 às 17:14

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou neste domingo sua renúncia ao cargo, depois de três semanas de protestos contra sua polêmica reeleição e depois de perder o apoio das Forças Armadas e da Polícia.

“Renuncio a meu cargo de presidente para que (Carlos) Mesa e (Luis Fernando) Camacho não continuem perseguindo dirigentes sociais”, disse Morales em discurso televisionado, referindo-se a líderes opositores que convocaram protestos contra ele, desde o dia seguinte às eleições de 20 de outubro. Uma nova eleição chegou a ser convocada, mas não foi suficiente para dirimir a crise instalada no País. 



Antes de anunciar sua renúncia, Morales viu o comandante-chefe das Forças Armadas e da Polícia da Bolívia, o general Williams Kaliman, pedir, neste domingo, que  ele renunciasse, em meio a protestos por sua questionada reeleição na votação de 20 de outubro, na qual a Organização de Estados Americanos (OEA) apontou irregularidades.

“Após analisar a situação conflituosa interna, pedimos ao presidente de Estado que renuncie a seu mandato presidencial permitindo a pacificação e a manutenção da estabilidade, pelo bem da nossa Bolívia”, disse o general Kaliman à imprensa.

“Nos somamos ao pedido do povo boliviano de sugerir ao senhor presidente Evo Morales que apresente sua renúncia para pacificar o povo da Bolívia", declarou o comandante geral da Polícia, general Vladimir Yuri Calderón.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.