Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
COARACY.jpg
Coaracy Nunes ocupava o cargo desde 1988 (Foto: Satiro Sodré / SS Press)
publicidade
publicidade

CADEIA

Presidente da Confederação de Desportos Aquáticos é preso pela Polícia Federal

Coaracy Nunes é um dos presos da Operação Águas Claras, que investiga o desvio de R$ 40 milhões em recursos públicos


A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (6) a operação Águas Claras, que apura um esquema de desvio de recursos públicos repassados à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos  (CBDA), envolvendo cerca de R$ 40 milhões. Cinco pessoas foram presas e quatro levadas, coercitivamente, para prestar esclarecimentos nas unidades do órgão em São Paulo e no Rio de Janeiro, em cumprimento à determinação da 3ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Foram cumpridos ainda 16 mandados de busca e apreensão.

Um dos presos é o presidente afastado da Confederação, Coaracy Nunes, que ocupava o cargo desde 1988. Ele foi afastado em setembro do ano passado, por uma decisão da Justiça Federal. 

Segundo nota da PF, as investigações começaram a partir de denúncias de atletas, ex-atletas e empresários do ramo esportivo brasileiro. As investigações estão sendo desenvolvidas em conjunto com o Ministério Público Federal e com a participação da Controladoria Geral da União.

publicidade

“Há indícios de um esquema de desvios de recursos públicos captados por meio de convênios e leis de fomento ao esporte sem a devida aplicação – conforme previsto em lei e nos contratos assinados”, assinala a nota. O dinheiro que deveria ser aplicado no incentivo aos esportes aquáticos e na viabilização de práticas esportivas aquáticas, estariam indo parar no bolso dos investigados.

Os recursos eram repassados por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, a Lei Agnelo Piva. O montante está associado ao patrocínio dos Correios que, por ser uma empresa pública, envolve a Lei de Licitações, destaca a nota. Pelo que a PF apurou houve fraude à Lei de Licitações.

Os investigados vão responder, de acordo com suas participações, pelos crimes de peculato, associação criminosa e fraude à Lei de Licitações, sem prejuízo de outros crimes eventualmente apurados no decorrer da instrução criminal. Os detalhes da operação serão apresentados às 11h no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, localizada na Rua Hugo D’Antola, 95, térreo – Lapa de Baixo.

publicidade
publicidade
Servidor do Ipaam é preso pela Polícia Federal com R$ 205 mil em espécie
Membro da FDN é preso em condomínio de luxo na Torquato Tapajós
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.