Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Notícias

Presidente do Detran-AM Leonel Feitoza deveria ter CNH cassada

---



1.gif Leonel Feitoza é vereador desde 1989. Na CMM, acumulou seis mandatos
04/03/2013 às 21:15

Só no ano de 2012, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) cassou 303 Carteiras Nacionais de Habilitações (CNH), suspendeu 1.920 e apreendeu 1.678. A cassação acontece, conforme determina o Código Brasileiro de Trânsito (CBT), quando o condutor comete infração gravíssima ao ser flagrado dirigindo tendo a habilitação suspensa. Já a  apreensão da carteira acontece automaticamente quando o motorista atinge os 20 pontos em infrações ou é flagrado dirigindo embriagado.


Nos últimos dias, após ser nomeado novo diretor-presidente do Detran, Leonel Feitoza ganhou destaque no noticiário local após a revelação de ter registrados na sua CNH nada menos que 33 pontos, 13 acima do limite permitido. Entre as infrações cometidas por ele estão a ultrapassagem de semáforo vermelho, excesso de velocidade, dirigir veículo utilizando telefone celular e transporte de passageiros no compartimento de cargas. De acordo com a legislação, Leonel deveria perder a CNH.  


Em entrevistas dadas à imprensa, o novo diretor justificou os pontos em excesso com o fato de ter dois carros no nome dele, sendo que um é dirigido pela mulher dele e outro pelo motorista. E que está recorrendo das multas, usando essa justificativa, já que ele próprio não teria cometido qualquer infração. Ele, inclusive, afirmou que irá fazer o curso de reciclagem, exigido pela lei a quem tem a habilitação suspensa.
Ele atribuiu a divulgação desses dados à ex-diretora do órgão, Mônica Melo, que teria, segundo ele, 22 pontos na Carteira Nacional de Habilitação dela, fato negado por ela. Mônica admitiu ter 12 pontos na CNH.

REGRAS RÍGIDAS

Entre as infrações consideradas gravíssimas pelo CBT, está a do artigo 162, que é dirigir veículo sem possuir CNH ou permissão para dirigir e ter permissão para dirigir veículo de categoria diferente da do veículo que esteja conduzindo, pelas quais, além da multa, o motorista sofrerá a apreensão do veículo e o recolhimento da habilitação.


Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência implica em multa e suspensão do ato de dirigir por 12 meses, além do recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo. Em caso de reincidência no período de até 12 meses, é aplicada a multa em dobro.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.