Publicidade
Cotidiano
Eleições

Presidente do PRB em Parintins é preso com R$ 50 mil de origem suspeita

Clemilton Moriá disse à polícia que recebeu o dinheiro como pagamento por ter prestado serviços gráficos ao candidato a vereador do mesmo partido, Marcos da Luz 01/10/2016 às 21:04 - Atualizado em 01/10/2016 às 21:10
Show prb
Clemilton Moriá é presidente do Partido Republicano Brasileiro (PRB) em Parintins. Foto: Reprodução/Internet
Kelly Melo Manaus (AM)

A Polícia Militar apreendeu R$ 50 mil de origem suspeita com o presidente do Partido Republicano Brasileiro (PRB), em Parintins, Clemilton Moriá, neste sábado (1°). À Justiça Eleitoral, ele alegou que recebeu o dinheiro em forma de pagamento por serviços prestados ao candidato a vereador do mesmo partido, Marcos da Luz.

De acordo com o comandante do 11º Batalhão da PM, major Valadares Pereira, os policiais receberam denúncias de que Clemilton estava transportando dinheiro ilícito em um veículo e foi abordado pelos policiais. 

“O denunciante disse que esse dinheiro seria usado, supostamente, para a compra de votos. Mas o homem informou que esse valor seria usado para o pagamento de serviços da campanha do candidato”, explicou o major Valadares.

O presidente do PRB em Parintins foi levado ao Cartório Eleitoral do município para prestar esclarecimentos. Segundo o promotor Flávio de Souza, o suspeito afirmou que recebeu o dinheiro como pagamento por ter prestado serviços gráficos ao candidato.

Apesar disso, o promotor não descartou a possibilidade de irregularidade. “Há fortes indícios de gasto ilícito porque esse dinheiro deveria ter sido declarado pelo candidato a vereador e não foi”, explicou o promotor.

Clemilton foi ouvido e liberado, mas um processo investigatório foi aberto para apurar as responsabilidades tanto do presidente do PRB quanto do candidato a vereador no município. “Se ficar comprovado o crime eleitoral, Marcos da Luz pode ter o registro cassado e ficar inelegível por oito anos, conforme a lei da Ficha Limpa”, acrescentou o promotor.

Dinheiro suspeito

Em Humaitá (a 1.476 quilômetros de Manaus), a Polícia Federal também apreendeu a quantia de R$ 143 mil no escritório do vereador Raimundo José Cruz Santiago, 66, o Bem Te-Vi (PMDB), candidato a reeleição no município. Ele foi encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos e também será investigado para apurar a origem do dinheiro.

Publicidade
Publicidade