Publicidade
Cotidiano
Notícias

Presidente Figueiredo sofre com falta de combustível após desmoronamento em rodovia

De quatro postos de combustível, só um tinha gasolina nesta quinta-feira (06). O tráfego de veículos na BR-174 havia sido liberado, mas foi suspenso novamente 07/03/2014 às 09:16
Show 1
A quinta carreta a passar pela ponte saiu arrastando, com um parachoque fixo, as tábuas que recobrem o ferro da ponte e os militares tiveram que interditá-la novamente para fazer os reparos
nelson brilhante ---

Por conta da interdição do km 58 da BR-174, local onde ocorreu um desmoronamento no último final de semana, o Município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus) ontem estava sofrendo com a falta de combustível. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Figueiredo, três dos quatro postos que abastecem os veículos da cidade estavam fechados por falta de gasolina e óleo diesel. O único que estava abastecendo fica a 100 quilômetros da sede do Município, no sentido Boa Vista (RR). Os postos são abastecidos com combustível que sai de Manaus.

O tráfego de veículos havia sido liberado na manhã de ontem, após a instalação de uma ponte metálica (bailey), que foi cedida pela 6º Batalhão de Engenharia de Boa Vista. Entretanto, o quinto caminhão a passar pelo local, após a liberação, tinha o para-choque fixo quebrando algumas das pranchas de madeira do piso e o acesso de veículos grandes foi suspenso novamente.

A equipe do Exército teve que providenciar novas pranchas, mas o trabalho de recuperação estava lento devido as fortes chuvas de ontem à tarde. “O caminhão saiu arrastando as pranchas e o serviço terá que ser refeito. Vamos torcer para que até amanhã (hoje) possa ser liberado novamente a passagem de carros grandes. Figueiredo está sem combustível na sede. Não sabemos até quando vai durar o estoque do único posto que está atendendo”, relata Francisco Carioca, diretor de comunicação de Presidente Figueiredo.

Enquanto o Exército providenciava os reparos, apenas carros de passeio passavam pelo local – de forma alternada –, por meio de um desvio feito pela Prefeitura de Figueiredo.

Os dois lados da rodovia ficaram comprometidos devido à abertura de uma cratera, ocasionada por uma erosão na manhã de domingo. Filas de veículos se formaram no trecho da BR-174, nos dois sentidos da estrada interestadual.

A estrutura da ponte metálica mede 30 metros de comprimento por três de largura, tem a capacidade para suportar veículos com até 25 toneladas e foi cedida pelo 6º Batalhão de Engenharia de Boa Vista.

Enquanto os militares trabalhavam na recuperação da ponte metálica, muita gente parou seus veículos para ver a situação e conturbaram ainda mais o trafêgo na rodovia. Muitos estavam voltando do Carnachoeira, o Carnaval da cidade e estavam há dias sofrendo para retornar para casa.

Erosão foi o problema

Transporte de cargas e turismo foram os principais afetados até agora

Na manhã de domingo (02/03), uma parte da pista da BR-174, na altura do km 58 desmoronou por conta da erosão provocada pelas chuvas. Desde então centenas de veículos de passeio, ônibus e caminhões ficaram impedidos de chegar a Manaus ou, no sentido contrário, de seguir viagem rumo a Presidente Figueiredo ou Boa Vista (RR).

Milhares de pessoas que tinham ido de Manaus para prestigiar a “Carnachoeira”, festa de Carnaval em Figueiredo ficaram sem condições de retornar a Manaus. A única alternativa era vir num táxi até o local do acidente, atravessar o trecho afetado a pé e no lado oposto ser transportado até Manaus em outro veículo.

Na segunda-feira, a prefeitura de Figueiredo disponibilizou todo o maquinário para que fosse construído um desvio da pista, a fim de facilitar a passagem de veículos de pequeno porte.

Uma equipe do Exército Brasileiro baseado em Boa Vista (RR) transportou daquela cidade peças para a montagem de uma ponte de 30 metros para ser instalada no local do desabamento e facilitar a passagem de caminhões e carretas de até 25 toneladas.

Publicidade
Publicidade