Sábado, 27 de Novembro de 2021
Marcado

Presidente Jair Bolsonaro visitará Manaus no dia 18 de agosto

Anúncio foi feito pelo presidente na posse do líder do centrão, senador Ciro Nogueira e publicado nas redes sociais de apoiadores



presidente-jair-bolsonaro-esta-internado-em-sao-paulo-8-1024x683_6A89CF68-32AE-40E5-BAED-692369970ABA.jpg Foto: Divulgação
06/08/2021 às 14:17

Depois de elogiar o governador Wilson Lima (PSC), o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) vai visitar Manaus no dia 18 de agosto para inaugurar 500 apartamentos do Conjunto Habitacional Manauara 2, construído com recursos federais. A inauguração, que estava marcada para o dia 16 de junho, teve que ser reagendada, porque o presidente chegou a ser internado para tratar de uma obstrução intestinal.

O anúncio foi feito pelo presidente na posse do líder do centrão, senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI) e publicado nas redes sociais de apoiadores do presidente do atual governo.

A agenda oficial do presidente ainda não é conhecida. Na visita prevista no mês anterior, a principal programação do presidente na capital era uma motociata que percorreria bairros da cidade até o município de Iranduba. 

A visita de Bolsonaro a Manaus acontece no momento em que o presidente protagoniza embates com ataques pessoais a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e integrantes do Superior Tribunal Eleitoral (TSE) em defesa do voto impresso. A reação do presidente do STF, ministro Luiz Fux, foi de cancelar uma reunião com os Poderes sob o argumento de que o relacionamento institucional pressupõe “respeito mútuo”. 

Na quinta-feira, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso foi rejeitada por 23 votos a 11 pela comissão especial da Câmara dos Deputados que discutia a proposta da deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF).

Wilson Lima foi um dos governadores aliados convidados para a posse de Ciro, que marca a chegada do centrão no coração do governo, na Casa Civil e a dependência de Bolsonaro do grupo político.

Na ocasião, o presidente disse que ele e Lima passaram por “momento difíceis” durante a segunda onda de covid-19 que atingiu o Amazonas em janeiro, sendo mais letal que a primeira onda ocorrida entre abril e maio de 2020. Além disso, chamou o governador de “pessoa importantíssima”.

“Vejo aqui também Wilson Lima, o nosso governador do Amazonas. Passamos momentos difíceis por conta da pandemia, algo que a gente não esperava que podia acontecer. Um pico do mal da Covid-19 no seu estado, todos nós corremos para socorrê-lo. Você foi também uma pessoa importantíssima para que os meios chegassem de forma mais rápida no seu estado”, disse o presidente.

O senador Eduardo Braga (MDB), que já sinaliza uma candidatura ao governo do Amazonas em 2022, também foi um dos convidados especiais do presidente. Ele foi citado nominalmente pelo presidente. “Eduardo Braga, saudoso colega do Partido Democrata Cristão (partido pelo qual o senador foi deputado federal em 1991)".

Braga é um dos senadores independentes membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, que se distanciou do grupo de sete senadores majoritários, que inclui o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD).

Com a tentativa do colegiado de ouvir Wilson Lima, impedida pelo Supremo, para apurar a falta de oxigênio no Amazonas, um dos escopos de investigação da CPI, Braga começou uma aproximação com o Planalto. Apesar de criticar o negacionismo do presidente, o senador que orbita no grupo majoritário tem assumido posições menos hostis ao governo.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.