Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
DELEGACIA

Presos que fugiram durante motim em delegacia de Canutama são recapturados

A polícia apreendeu com os detentos duas armas, uma espingarda e uma pistola ponto 40. A rebelião na delegacia aconteceu nesse domingo (4)



detentos_2.JPG Os detentos destruíram grades e tocaram fogo em colhões (Foto: Divulgação/PM)
05/03/2018 às 09:37

Os seis detentos que fugiram durante um motim na 62ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Canutama, distante 649 quilômetros de Manaus, foram recapturados no inicio da noite desse domingo (4). A informação foi confirmada na manhã desta segunda-feira (5) pela assessoria de comunicação da Polícia Civil do Amazonas.

Conforme a PC, com os detentos foram apreendidos duas armas, uma espingarda e uma pistola ponto 40. Policiais civis do DPI, do grupo da elite Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) e militares do Comando de Operações Especiais (COE), que se deslocaram para a localidade para recaptura dos foragidos, foram os responsáveis pela captura dos presos.



O motim na delegacia começou às 7h e durou até as 10h desse domingo (4). O comandante de policiamento do Purus, Laurênio Silva, relatou que, durante a troca de guarda no quartel da Polícia Militar, onde também funciona a delegacia, os internos começaram uma gritaria e durante a confusão destruíram as grades das únicas três celas da unidade, além de tocaram fogo em colchões, quebrarem os vidros e objetos da delegacia.

“A delegacia está superlotada. Só tem espaço para 12 detentos, no entanto comporta 23 internos. Por isso a população carcerária da delegacia se revoltou. Eles quebraram tudo, até os vidros do lado de fora da unidade. Depois da situação controlada, identificamos os fugitivos e começamos a caçada”, contou.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.