Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
publicidade
publicidade

Notícias

Prevenir é o melhor remédio: Alimentação balanceada é a 'chave' para uma boa saúde

No Dia Mundial da Saúde, especialistas confirmam que uma mesa balanceada é essencial para evitar doenças e fundamental para a cura


07/04/2015 às 08:48

Uma alimentação equilibrada sempre foi uma boa aliada na prevenção de doenças. Além da função nutricional, a ingestão de alimentos diversificados regularmente desencadeia benefícios ao corpo humano capazes de criar barreiras contra doenças. Ingerir variados tipos de frutas e legumes na hora das refeições é essencial. Chás à base de produtos naturais também podem evitar e complementar o tratamento contra doenças crônicas. Essas são algumas das dicas de especialistas que A CRÍTICA traz nesta edição especial dedicada ao Dia Mundial da Saúde.

De acordo com o doutor em botânica do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Juan Revilla, uma das melhores maneiras de evitar doenças  é cuidar da alimentação. Tomar chás para neutralizar possíveis males também são alternativas adotadas por quem defende que “prevenir é o melhor remédio”.  “A diversidade de alimentos é muito grande, mas cada vez mais estamos comendo muito de alguns e nada de outros. O macaco, que é nosso parente mais próximo, por exemplo, come no mínimo 60 tipos de alimentos enquanto nós não passamos de 20”, explica Juan, que também é doutor em medicina tradicional.

Tucumã, açaí, abacate, pupunha, castanhas, mari mari, maxaceira, pajurá e buriti são fontes ricas de carboidratos, apesar de serem alimentos gordurosos. Segundo Juan, a ingestão é recomendada caso a pessoa não esteja doente. “São ótimos alimentos, mas o problema é quando a pessoa come e não queima as calorias. O perigo está em comer, acumular e não gastar”, observa.

Para o especialista, outro grande problema está em consumir em excesso sempre os mesmos alimentos. “O ano todo os supermercados nos oferecem laranja, abacaxi, e isso prejudica quando não são substituídos por outras frutas. O mesmo acontece com outros alimentos. Por exemplo, comemos feijão quase todos os dias, enquanto poderíamos substituir por ervilhas, lentilhas e grão de bico. Em cada um desses existem elementos diferentes”.

Regionais

O pesquisador garante que ervas e plantas amazônicas podem auxiliar na prevenção de doenças crônicas como diabetes, colesterol alto, hipertensão, asma, problemas gastrointestinais, entre outros. “Muitos pacientes optam pelo tratamento alternativo e em 70% dos casos ficam curados”, ratificou.

Mas ele ressalta que embora alimentação seja uma forte aliada na prevenção,  quando diagnosticada a doença, os alimentos e uso de chás devem ser encarados como um tratamento complementar ao tratamento da medicina convencional.

Atendimentos

Natural do Peru, o doutor Juan Revilla faz consultas e orientações sobre consumo de alimentos e chás  naturais  todos os sábados, das 8h às 17h, no Instituto de Medicina Tradicional, localizado na Avenida Castelo Branco, número 1071, bairro Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus. Ele é biólogo por formação com mestrado em botânica econômica, doutor em medicina tradicional e pós-doutor em fitomedicina.

Trabalha há 37 anos como pesquisador do Instituo Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e atualmente realiza pesquisas no município de Manaquiri, distante 60 quilômetros de Manaus. O valor do atendimento é simbólico para manter o instituto.


publicidade
publicidade
Motoristas do Amazonas vão poder parcelar IPVA atrasado em até 12 vezes
Prefeitura começa a demolir imóveis para obras na avenida Constantino Nery
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.