Domingo, 08 de Dezembro de 2019
Em processo

Processo de impeachment de Trump têm início nos Estados Unidos

Presidente americano teria supostamente pedido por uma investigação sobre Biden durante um telefonema com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, em julho. Ação configura crime de responsabilidade



TRUMPPPPP_3EBDB6EC-B505-47F8-9BE3-1C7B3861B1C6.JPG Foto: Allan Stell / AFP
14/11/2019 às 11:10

Um diplomata americano do alto escalão, lotado na Ucrânia, deu a entender que acredita que o presidente Donald Trump tenha pedido ao governo ucraniano que investigasse a firma vinculada ao filho do ex-vice-presidente dos EUA, Joe Biden.

William Taylor falou ontem (13) durante a primeira audiência pública do comitê investigativo da Câmara dos Representantes, liderada pelos Democratas, sobre o possível impeachment contra o presidente americano.



Trump teria supostamente pedido por uma investigação sobre Biden durante um telefonema com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, em julho. Biden é o adversário que lidera a campanha do partido Democrata para a eleição presidencial de 2020.

Taylor disse que tomou ciência de que a condição para a promoção de uma reunião e a retomada de ajuda militar solicitada pelo presidente ucraniano seria a realização de uma investigação sobre a Burisma, uma companhia de gás na qual o filho de Biden era executivo.

Taylor indicou que o lado americano teria pedido ao governo ucraniano para anunciar publicamente o lançamento de uma investigação. E acrescentou que o advogado pessoal de Trump, Rudy Giuliani, entrou em contato com o governo da Ucrânia por meio de canais diplomáticos irregulares.

George Kent, o vice-secretário de Estado Assistente para Relações com a Europa e a Eurásia, também deu depôs durante a audiência. Ele disse que o trabalho de Giuliani em forçar investigações com motivações políticas afetou o envolvimento dos Estados Unidos com a Ucrânia.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.