Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
publicidade
gol_7EDB3182-2624-49CA-9A12-795E98CD2739.JPG
(Foto: Divulgação/GOL)
publicidade
publicidade

APÓS ACIDENTE

Procon-SP quer que Gol deixe em terra avião da Boeing envolvido em queda na África

A companhia aérea informou mais cedo que mantém seus sete Boeing 737 MAX 8 em operação e que está em contato próximo com a Boeing para esclarecimentos


11/03/2019 às 15:19

A Fundação Procon-SP informou nesta segunda-feira que vai pedir para a companhia aérea Gol suspender operações com as aeronaves Boeing 737 MAX 8, após nova queda de avião do modelo ocorrida no domingo na África.

“O objetivo da ação é prevenir que ocorram futuros acidentes colocando em risco a vida dos usuários do transporte aéreo”, afirmou a entidade de defesa de direitos dos consumidores em comunicado à imprensa.

A companhia aérea informou mais cedo que mantém seus sete Boeing 737 MAX 8 em operação e que está em contato próximo com a Boeing para esclarecimentos. “A companhia reitera a confiança na segurança da sua operação”, afirmou a empresa aérea brasileira.

No domingo, um Boeing 737 MAX 8 com destino a Nairóbi, operado pela Ethiopian Airlines, caiu minutos depois de decolar de Addis Abeba, matando 157 pessoas. O mesmo modelo, operado pela Lion Air, caiu na costa da Indonésia em outubro, matando todas as 189 pessoas que estavam no avião.

publicidade

“Considerando que a segurança é um direito fundamental do consumidor, a Fundação Procon-SP...notificará hoje a Gol Linhas Aéreas para que suspenda imediatamente a operação de todas as aeronaves da Boeing modelo 737 MAX 8, em razão da ocorrência de acidentes de perfil semelhante em curto espaço de tempo”, afirmou a entidade.

A Gol afirmou que os 737 MAX 8 utilizados pela empresa atualmente operam basicamente em rotas internacionais como Quito e Flórida (EUA). A empresa tem atualmente uma frota de 121 aviões Boeing e encomenda de 135 aeronaves MAX 8 e MAX 10, a serem entregues até 2028.

Procurada, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou que está acompanhando as investigações em torno do modelo da Boeing.

As ações da Boeing despencavam cerca de 6 por cento. Após a queda do avião no domingo, o regulador da indústria de aviação da China (CAA) proibiu nesta segunda-feira voos de quase 100 aeronaves Boeing 737 MAX 8 operados pelas companhias aéreas do país.

Já as ações da Gol lideravam as quedas do Ibovespa, recuando 2,85 por cento às 15h34, enquanto o índice tinha alta de 2,6 por cento.

publicidade
publicidade
Acidente envolvendo nove veículos deixa av. Umberto Calderaro paralisada
Doze pessoas ficam feridas durante colisão entre ônibus em Manaus
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.