Publicidade
Cotidiano
Notícias

Prodam promove ingresso de jovens no mercado de trabalho

O público alvo do projeto de inclusão social da PRODAM são as pessoas excluídas do mundo do trabalho e que não conseguem emprego atendendo aos processos regulares de seleção 17/09/2015 às 14:39
Show 1
Três jovens com comprometimento intelectual, da Escola Estadual Diofanto Vieira Monteiro foram selecionados e começarão a trabalhar nas duas reprografias da Prodam
acritica.com Manaus (AM)

Com o objetivo de promover a inclusão social e garantir os direitos de todos os cidadãos, a Empresa de Processamento de Dados Amazonas S/A (PRODAM) contratou aprendizes com comprometimento intelectual.

“Além de exercemos o nosso papel de empresa cidadã, pretendemos mudar vidas e gerar oportunidades”, destacou o diretor presidente da empresa, Márcio Silva de Lira, ao falar sobre a contratação.

O público alvo do projeto de inclusão social da PRODAM são as pessoas excluídas do mundo do trabalho e que não conseguem emprego atendendo aos processos regulares de seleção, mesmo com a existência da Lei nº 8.213 de 24/7/91 (Lei de Cotas).

A lei determina que as empresas com mais de 100 empregados devem resguardar de 2% a 5% de seus cargos para pessoas com deficiência ou beneficiários reabilitados. 

Baseados neste perfil, três jovens com comprometimento intelectual, da Escola Estadual Diofanto Vieira Monteiro foram selecionados e começarão a trabalhar nas duas reprografias da PRODAM.

Eles assinaram contrato de dois anos e durante esse período receberão um salário mínimo vigente e ticket de alimentação.

“Sempre tive vontade de começar a trabalhar e fiquei muito feliz em ser contratado. A parte mais difícil vai ser acordar cedo, mas eu me acostumo rápido. Com meu primeiro salário vou ajudar a pagar meu celular”, disse Emanoel Silva Vieira, de 14 anos, um dos aprendizes que começa a fazer parte do quadro da PRODAM.

A psicóloga da escola, Maria de Fátima Chíxaro, aponta a contratação como uma oportunidade dos jovens com comprometimento intelectual mostrarem competência para desenvolver atividades dentro da empresa.

“Além do ganho social, as empresas que incorporam esta visão ganham também colaboradores dedicados, gentis, comprometidos e, ao contrário do que se pensa, altamente produtivos”, frisou.

Atualmente, a Escola Estadual Diofanto Vieira Monteiro possui 204 alunos com comprometimento intelectual, com idades que variam de 14 a 50 anos, e que participam de uma série de atividades psicopedagógicas que auxiliam no seu desenvolvimento.

“Esta é a primeira vez que a PRODAM acolhe pessoas com comprometimento intelectual e será muito bom tanto para a empresa, que terá um saldo positivo no seu Balanço Social quanto para os aprendizes, que estarão iniciando suas vidas no mercado de trabalho numa empresa que é referência em Tecnologia da Informação no Amazonas. Um desafio que para eles parece grande, mas com a ajuda e o empenho de todos nós, eles certamente conseguirão vencer mais esta etapa em suas vidas”, destacou o analista administrativo, Sérgio Rodrigues, um dos integrantes da equipe da Gestão de Pessoas (GEPES) que coordena este projeto na PRODAM.

*Com informações da assessoria de imprensa


Publicidade
Publicidade