Publicidade
Cotidiano
Números

Produção de eletroeletrônicos cai 26,8% no Polo Industrial de Manaus

Dados se referem ao primeiro trimestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015 05/05/2016 às 00:15 - Atualizado em 05/05/2016 às 19:20
Show ar
Queda na produção do segmento que é o carro-chefe da Zona Franca de Manaus preocupa entidades empresariais / Foto: Clóvis Miranda
Lucas Jardim Manaus (AM)

O setor eletroeletrônico, carro-chefe do Polo Industrial de Manaus (PIM), apresentou nova retração, preocupando entidades da indústria amazonense. A produção deste segmento encolheu 26,8% no primeiro trimestre de 2016 em comparação ao mesmo período de 2015, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A queda na produção reflete o recuo de 34,6% da indústria eletrônica no primeiro trimestre, uma queda bem maior do que a da produção da indústria geral (-11,7%) e da indústria de transformação (-11,1%), segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Tanto associações de empregadores quanto de empregados apontam o dado como representativo da continuação de um quadro de recessão econômica cujos efeitos se fazem sentir desde 2014. Valdemir Santana, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, explicou que, além da crise econômica e política pela qual passa o País, várias leis tiveram um impacto negativo no desenvolvimento do setor no PIM.

“O baque nas indústrias de componentes, por exemplo, foi grande e contributivo. Com a lei que permitiu a empresas importarem mais componentes de fora, várias fábricas de componentes fecharam. As que você encontra hoje no PIM não têm mais de 200 empregados. Isso para não falar em indústrias como a dos CDs, que sofrem com as pessoas baixando as músicas direto da internet”, falou o presidente.

Ele também destacou o perigo que a Lei da Informática representa para o setor no Amazonas. “Essa lei veio para levar a fabricação de vários produtos e componentes para o Sudeste. O [diodo emissor de luz] LED foi considerado um bem de informática, para você ver. Isso é brincadeira”, disse o dirigente sindical.

Apesar do cenário, Valdemir se diz otimista ao esperar uma solução para a crise do país que, segundo ele, é mais política do que econômica, uma vez que, no tocante à economia, ele lembra que o País viveu uma recessão em 2009 e 2010 que foi superada mais rapidamente do que a atual.

Essa posição encontra eco nas palavras de Wilson Périco, presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) e membro da diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), que destaca a dificuldade do momento político e a necessidade de restabelecer a confiança do consumidor e do investidor no Brasil.

“Atualmente, você tem o desemprego, que reduz o poder de compra. Os empregados, por sua vez, não têm certeza se continuarão em seus cargos, daí evitam gastar em produtos que não sejam de primeira necessidade – os quais o PIM não fabrica. A insegurança que consumidores e investidores têm sobre os rumos do País e de quem estará à frente da condução desses rumos precisa ser superada. Isso só vem com medidas reais, como redução de gastos governamentais e controle efetivo da inflação”, declarou Wilson.

Apesar do otimismo, Valdemir ressalta a temeridade dos próximos passos em Brasília, não só para os eletrônicos do PIM, mas como toda a indústria no Estado. “A mudança que pode acontecer no país a partir de hoje é algo que precisa ser conhecido da população. Quem pode assumir o Ministério da Indústria e Comércio em caso de impeachment é o [presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp] Paulo Skaf, um cara que odeia a Zona Franca e que sempre foi contra o modelo”, concluiu o líder sindical.

Sefaz realiza 9º sorteio da campanha

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz/AM), realiza o nono sorteio da campanha Nota Fiscal Amazonense de 2016, a partir das 8h30 desta quinta-feira (5). Nesta edição, 109.271 consumidores e entidades sociais concorrerão aos 20 prêmios (dez para consumidores e dez para entidades sociais escolhidas). No total, serão sorteados R$ 168 mil.

Foram gerados 1.687.239 bilhetes eletrônicos para um total de 617.408 notas fiscais eletrônicas com CPF. As notas foram processadas no período de 01 a 30 de abril de 2016. Serão sorteados para os cidadãos quatro prêmios de R$ 5 mil, três de R$ 10 mil, dois de R$ 20 mil e um de R$ 30 mil.

Desde que a campanha iniciou em agosto do ano passado, mais de 196 mil pessoas se cadastraram no portal da Campanha Nota Fiscal Amazonense e participam dos sorteios diários, mensais e especiais. A Sefaz/AM recebeu mais de 19 milhões de notas fiscais com o CPF até o final de abril, o que atesta o sucesso da iniciativa do governo do Estado.

Curiosamente, muitos consumidores pedem o CPF na nota fiscal, mas não concorrem nos sorteios realizados pela Secretaria de Fazenda porque não se cadastraram ainda no site.

Em muitos casos, o contribuinte, ao fazer o cadastro no portal, descobre que até já foi sorteado e que há um prêmio esperando para ser resgatado pelos vencedores.

Publicidade
Publicidade