Sábado, 24 de Julho de 2021
Desempenho

Produção industrial no Amazonas tem maior crescimento do Brasil em abril

Apesar da melhora no cenário da produção industrial, os números ainda refletem os efeitos da pandemia em todo Brasil, afirmou o presidente da Fieam, Antônia Silva



industria_1195D92A-814A-412C-8248-8ECCA549D5FE.jpeg Foto: Reprodução/Internet
09/06/2021 às 14:50

Ao contrário da tendência nacional, na qual nove de 15 cidades pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentaram queda na produção industrial entre março e abril, o Amazonas foi destaque com alta na produção industrial de 1,9% e teve a segunda taxa positiva seguida, acumulando ganho de 11%. Além disso, o estado teve um bom desempenho no setor de derivados do petróleo, considerado o vilão da queda da produção industrial em outras cidades. 

A Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou alta também no Rio de Janeiro, de 1,5%, provocada pelo setor extrativo de petróleo. O Espírito Santo teve subida de 0,9%. O vizinho Pará subiu 0,3% percentuais na sua produção industrial, empatada com o desempenho do Rio Grande do Sul (0,3%). A menor alta foi registrada no Paraná de 0,2%.



O crescimento nacional em relação ao mesmo período de 2020 foi de 34,7%. Nesse índice 12 estados dos 15 pesquisados tiveram alta. Mas, em comparação a abril, o desempenho não foi tão animador porque, ano passado o setor industrial foi pressionado pelo isolamento social decorrente da pandemia de covid-19.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas(Fieam), Antônio Silva, apesar de o Amazonas apresentar uma melhora no cenário da produção industrial, os números ainda refletem os efeitos da pandemia em todo Brasil.

"Os números da passagem de março para abril refletem o momento da pandemia à época. Nesse período, as demais Unidades da Federação estavam entrando na linha ascendente da pandemia, com a imposição de diversas medidas restritivas. Enquanto, no Amazonas, ingressávamos na fase de flexibilização, razão pela qual nossos indicadores estão descolados do nacional. No comparativo com o mesmo período de 2020, o saldo também é positivo, porque esses meses de 2020 foram os piores da indústria nacional, logo no início da pandemia de COVID-19 no país, ou seja, a base produtiva estava em franco descenso e com indicadores reduzidos", disse o presidente.

O Amazonas também apresentou avanço acima da média na comparação anual com 132,8%. O Ceará teve 90,2%; Paraná 55,1%; Rio Grande do Sul ficou com 53,8%; Santa Catarina (50,5%) e São Paulo (45,5%).

Completam a lista dos locais com alta, em relação a abril de 2020, Minas Gerais (32,5%), Pernambuco (31,4%), Espírito Santo (26,1%), região Nordeste (20,2%), Rio de Janeiro (10,3%) e Pará (6,0%).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.