Publicidade
Cotidiano
Saúde

Professor supera obesidade e cria projeto para ajudar crianças sedentárias

Após vencer a depressão e eliminar 38 quilos, professor de educação física cria projeto contra essas doenças no espaço escolar 07/08/2017 às 17:40 - Atualizado em 07/08/2017 às 17:48
Show obesidade
Para estimular a mudança de hábitos, Jairo Araújo lança mão de brincadeiras. Projeto foi abraçado por escola de tempo integral no Adrianópolis
Alik Menezes Manaus/AM

Após superar duas doenças de altos indíces no Brasil - uma depressão e a obesidade, o professor de educação física Jairo Araújo se sensibilizou e decidiu criar um projeto para ajudar crianças do ensino infantil a abandonarem o sedentarismo e emagrecerem da forma que elas gostam: brincando. O educador fundou, há três meses, o projeto “Step, o passo contra a Obesidade infantil”.

Segundo Araújo, o projeto foi idealizado há quatro anos e surgiu logo após ele superar a depressão e eliminar 38 quilos adquiridos por causa dos problemas emocionais. Contudo, a ideia só foi colocado em prática há três meses e em um ambienta ideal para estimular a consicentização contra a obesidade infantil: a Escola Estadual de Tempo Integral Almirante Barroso, localizada na rua Maceió, no bairro Adrianópolis.

“Fiz o tratamento e precisei emagrecer. Estava formando em Educação Física e aquele peso se tornou um peso mesmo, consegui emagrecer e abracei a causa contra a obesidade infantil. Estudei bastante e os números são altos de crianças obesas, eu precisava fazer algo”, disse.

No ano passado o professor, natural do Pará, se mudou para Manaus, após ser aprovado em concurso público. Foi quando a teve a oportunidade de colocar as ideias em prática. Com a ajuda de pais e alunos, o professor aproveitou livros inutilizados para produzir ‘steps’. “Nós não teríamos condições de comprar esses aparelhos, mas Deus me abençoou e tive a ideia desses steps. A gente usa livros que não servem mais e um pouco de fita adesiva”, disse.

Resultados positivos

Os treinos são realizados durante as aulas de educação física nas segundas, terças, quintas e sextas-feiras com alunos do 5º ano do ensino fundamental e os resultados vão além da perda de peso.

Segundo o educador, nos primeiros dias foi visível que as crianças estavam perdendo peso, mas o que chamou mais atenção foi a forma como os pais abraçaram a causa quando perceberam mudanças no comportamento dos filhos.

“Eles tiveram mudança no humor, nas relações com os coleguinhas e com os pais. Os próprios pais nos contam todos os dias que os filhos estão mais felizes”, disse.

Na próxima semana os alunos serão submetidos a uma nova avaliação para saber quais as novas medidas. Segundo o professor, as crianças são pesadas no primeiro dia do projeto e depois a cada três meses. “Nem precisaria pesar porque e visível que eles emagreceram, mas será como uma forma de incentivar pais e novos alunos a terem novos hábitos”.

A estudante Adriana Vitória Soares da Silva, 10, é uma das crianças beneficiadas com o projeto desenvolvido por Jairo. Ela tem uma deficiência em uma das pernas e possui dificuldade de locomoção, o que até três meses comprometiam o relacionamento dela com outras crianças.

Segundo a mãe da estudante, a dona de casa Ana Paula Soares da Silva, 30, antes a Adriana sofria bullying na escola, mas hoje se defende das brincadeiras de mau gosto dos colegas de sala. “Mudou tudo na vida dela. Agora ela se relaciona, participa, fala mais, até se defende de outras crianças. Antes ela era uma criança reservada porque ela cai muito por causa do problema na perna, mas agora tudo está diferente, graças a Deus e o professor Jairo”.

Número dobrou no mundo

O número de obesos dobrou no mundo, entre 1980 e 2015, de acordo com uma pesquisa divulgada pela The New England Journal of Medicine. Como aponta a pesquisa, no ano de 2015, cerca de 107,7 milhões de crianças e 603,7 milhões de adultos sofriam de obesidade em todo mundo. Apesar da incidência da obesidade nas crianças ser menor do que nos adultos, o aumento foi mais rápido neste período de 35 anos, como apresentaram os autores do estudo durante uma conferência realizada em Estocolmo.

Em 2016, a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou a Década de Ação sobre Nutrição e o Brasil foi o primeiro país a se comprometer com o combate a obesidade.

Há também dados alarmantes de outras pesquisas. Indicadores apresentados em abril pelo Ministério da Saúde mostram que, nos últimos 10 anos, a prevalência da obesidade no Brasil aumentou 60%, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016. O excesso de peso também subiu de 42,6% para 53% no período.

Publicidade
Publicidade