Publicidade
Cotidiano
Notícias

Professores precisam ter a tecnologia como aliada no ensino

Na avaliação do professor Carlos Jennings, a tecnologia vem avançando a passos largos nos últimos anos, mas a pedagogia, infelizmente, não está acompanhando essa evolução 15/10/2013 às 20:08
Show 1
O 1º Congresso Internacional de B-Learning (Tecnologias para a Educação 2.0) terá a participação do professor Carlos Jennings
acritica.com* Manaus (AM)

Neste Dia do Professor, um dos assuntos que vêm a tona para discussão é: a utilização dos meios tecnológicos na metodologia de ensino. Para o professor Carlos Jennings, gerente do Núcleo de Projetos da Ginga Soluções em B-Learning, o profissional de educação tem que aceitar que, de fato, a tecnologia já faz parte do dia-a-dia do mundo, mas que ainda não conseguiu romper as barreiras da escola.

“Essa é uma realidade que deverá ser bastante debatida durante o 1º Congresso Internacional de B-Learning (Tecnologias para a Educação 2.0), que estaremos promovendo nos próximos dias 11 e 12 de novembro, aqui em Manaus”, destacou Carlos Jennings, reforçando que o evento será uma boa oportunidade para professores, estudantes e empresários entrarem em contato com o B-Learning, essa plataforma de educação que utiliza os mais diversos meios tecnológicos como suporte.

Na avaliação do professor Carlos Jennings, a tecnologia vem avançando a passos largos nos últimos anos, mas a pedagogia, infelizmente, não está acompanhando essa evolução. “O professor Manuel Moran, um dos grandes nomes da educação tecnológica no mundo e que será um dos palestrantes do congresso, diz que essa tecnologia não é uma coisa do futuro. Na verdade, ele diz que essas plataformas tecnológicas já nos atropelaram e a gente nem se deu conta disso. Por isso acho importante nós, educadores, debatermos o assunto e nos reinventarmos dentro dessa nova realidade mundial”, disse o professor.

A professora Osmarina Guimarães, coordenadora de Projetos da Ginga Soluções em B-Learning, explicou que, por um longo tempo, a escola justificou sua inércia na área tecnológica com o argumento de falta de políticas públicas. “O fato é que, agora, o Estado está investindo pesado nas novas tecnologias educacionais e os professores precisam acompanhar essa mudança de paradigmas. Durante o congresso, além de discutir, vamos apresentar essa nova plataforma tecnológica que é o b-learning, em oficinas temáticas de sete disciplinas (Matemática, Língua Portuguesa e Literatura, História, Geografia, Química, Física e Biologia)”, informou Osmarina.

O “1º Congresso Internacional de B-Learning: Tecnologias para a Educação 2.0” será realizado em Manaus, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, nos dias 11 e 12 de novembro. Informações, programação e inscrições pelo site www.gingablearning.com.br/congresso

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade