Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019
INTERNET

Programa interligará municípios da Amazônia por meio de fibra ótica

Cidades do Amapá, Acre, Rondônia, Roraima e Pará serão conectados por cabos no leito dos rios. O investimento chega a quase R$ 600 milhões



cabo_60DBC025-C64C-4CB4-ACE4-4477C9033077.JPG Foto: Divulgação
13/10/2019 às 07:00

Orçado em R$ 593 milhões o programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS) prevê a interligação, por meio de cabos de fibra ótica, de municípios do Amazonas, Amapá, Acre, Rondônia, Roraima e Pará à rede mundial de computadores. Elaborado por técnicos do Amapá que integram a equipe do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a iniciativa amplia o alcance previsto no programa Amazônia Conectada, executado pelo Exército Brasileiro.

Criado por um servidor de carreira da Empresa de Processamentos de Dados do Amazonas (Prodam), em 2014, e executado pelo 4º Centro de Telemática de Área (4º CTA) do Exército Brasileiro, o projeto Amazônia Conectada já tem cabos de fibra ótica instalados no leito do Rio Negro, saindo de Manaus até Novo Airão com 127 quilômetros (km) de extensão, e no Rio Solimões ligando Manaus a Iranduba (8 km), Manacapuru (130 km), Coari (340 km) e Tefé (232 km). O projeto interministerial é gerenciado pela pasta de Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação.



“No trecho do Rio Negro o cabo está íntegro e a manutenção está acontecendo nos equipamentos de TI. O projeto é único no mundo e às características da região nos impõe que a solução seja única e diferenciada. A fase de manutenção é custosa e caríssima. Dependemos do regime do rio para que a manutenção seja feita e para garantir a segurança dos profissionais. Temos trechos de rios com correnteza muito forte e profundidade alta se eu for na época da cheia e a visibilidade no rio é pouquíssima”, explicou o chefe do 4º CTA, coronel Júlio César Brasil.

Infovias

Além das vias de comunicação do Rio Negro e Solimões, o projeto contempla as infovias do Rio Japurá, Rio Madeira, Rio Purus e Rio Juruá. O chefe do 4º  CTA afirmou que o programa nunca esteve parado e ressaltou que a unidade no Amazonas é apenas pelo ‘braço executor’.

“Ele nunca este parado. Estamos na época de ajustes e vamos dar continuidade desde que Brasília determine. É claro que o lançamento de uma fibra ótica é muito caro e depende de uma previsão de recurso governamental”, declarou o coronel.

O Programa Amazônia Integrada e Sustentável (Pais) é um projeto que tramita no Senado e visa implantar mais de 10 mil km de cabos de fibra ótica por baixo dos leitos dos rios, enterrados, além de outros 778 km de cabo submarino e 498 km de cabo terrestre.

Ao menos 900 quilômetros de cabos de fibra ótica já foram instalados pelo ‘Amazônia Conectada’ interligando Manaus a Iranduba, Novo Airão,  Manacapuru, Coari e  Tefé com a instalação da infraestrutura de conexão à internet. A meta é levar internet a 52 municípios do interior.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.