Publicidade
Cotidiano
Notícias

Programa Nacional estimula estudantes e professores da rede pública do Amazonas

Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) foi bem avaliado por profissionais da educação do AM em seminário realizado nesta quinta (03) em Manaus 04/04/2014 às 10:22
Show 1
Autoridades da área educacional do município e do Estado, e professores da rede pública do interior do Amazonas lotaram o encontro na manhã desta quinta-feira
Ana Celia Ossame ---

“O Pnaic foi como uma luz para conduzir as atividades dos professores e ajudar o trabalho de alfabetização das nossas crianças”. O relato, da professora Maria de Nazaré Assunção, 53, do Município de Novo Aripuanã (a 225 quilômetros de Manaus), foi um dos que marcou, nesta quinta-feira (03), a abertura do Seminário de Socialização das Experiências Compartilhadas na Formação Continuada em Alfabetização para os orientadores de estudo do Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic).

No evento, definido como uma reunião de trabalho, a coordenadora institucional do Pnaic Amazonas junto ao Ministério da Educação (MEC), professora doutora Zeina Thomé, da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), justificou o sucesso do programa com a parceria entre secretarias de educação municipais, Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e a Ufam. Estiveram presentes autoridades da área educacional do município e do Estado.

Organizado para avaliação dos resultados obtidos pelo programa no ano de 2013, o seminário trouxe para Manaus a professora Maria de Nazaré Assunção, que há 32 anos atua na educação de Novo Aripuanã. “Os professores não tinham experiência e nem conhecimentos novos para trabalhar, mas com o programa eles conseguem estimular os alunos com atividades inovadoras”, explicou ela, indicando como resultado a redução do índice de abandono escolar.

“Como aprendem, as crianças passaram a gostar mais da escola”, justificou.

Rosana Oliveira de Araújo, 52, e a pedagoga Deusa Maria Costa da Silva, 63, do Município de Juruá (a 737 quilômetros da capital), também afirmam que as metodologias do Pnaic têm conseguido estimular os professores a desenvolverem atividades que têm contribuído para reduzir o abandono e a repetência nas escolas do município.

INDÍGENAS

No município de Santo Antônio do Içá (a 880 quilômetros de Manaus), o professor Terri Salvador, 42, há 16 anos no magistério, destaca a aplicação do Pnaic na comunidade indígena tikuna Vila da Betânia, onde o programa é aplicado. “Só tenho a dizer sobre o sucesso do uso do material, que traz a realidade deles para dentro da sala de aula, o que é motivador”, afirmou o professor, lembrando ser a motivação dos professores como um fator fundamental para o sucesso do Pnaic.

Publicidade
Publicidade