Publicidade
Cotidiano
Notícias

Projeto ‘De Peito Aberto’ busca estimular enfrentamento contra o câncer de mama em mulheres

Trabalho idealizado pela jornalista Vera Golik e pelo fotógrafo e sociólogo Hugo Lenzi está em exposição no segundo piso do Manauara Shopping, em Manaus, até 7 de junho 24/05/2015 às 20:10
Show 1
Ideia do projeto surgiu após casal presenciar reações de membros da família ao serem diagnosticados com câncer
Isabelle Valois Manaus

O projeto “De Peito Aberto”, que tem como meta estimular uma nova conduta em relação ao enfrentamento do câncer de mama, está em Manaus pela primeira vez. O trabalho dos idealizadores do projeto, a jornalista Vera Golik e o fotógrafo e sociólogo Hugo Lenzi, ambos de São Paulo, está em exposição no segundo piso do Manauara Shopping, na Zona Centro-Sul, até o dia 7 do mês do próximo mês.

A ideia do projeto surgiu após o casal de comunicadores presenciar as reações de membros da família ao serem diagnosticado com câncer. De acordo com Golik, ela e o esposo perceberam que a medicina tem se preocupado apenas com a doença, mas se esquece da humanização do problema, que costuma deixar os pacientes abalados psicológicamente.

 “A nossa proposta inicial foi resgatar a humanização da medicina. Com o passar dos anos, os médicos mudaram a forma de atender, muitos nem olham mais para o paciente, focam na doença e esquecem da humanização”, reforçou.

Separações

Desde que iniciou as pesquisas, o casal descobriu que mais de 70% das mulheres diagnosticadas com o câncer são abandonadas por seus companheiros. Com esses dados, eles dedicaram o projeto às vítimas da doença nas mamas. “Comecei a conversar com médicos, acompanhava o trabalho deles, principalmente aqueles que continuavam a acompanhar o paciente de perto. Foi assim que comecei a conseguir meus personagens”, lembrou.

Golik entrevistava as mulheres diagnosticadas e Hugo as fotografava. “O projeto se divide em quatro partes, que são a descoberta, o processo, o apoio e a superação. As imagens detalham bem como cada personagem conviveu com cada situação”, explicou.

Todas as imagens da exposição apresentam apenas duas cores: preto e branco. Conforme Hugo, esta foi a forma que ele considerou melhor para apresentar bem o sentido da humanização. “A foto em cores é rica em detalhes que atraem a atenção até para outro aspecto. O preto e branco é diferente, e foi nele que consegui apresentar o que realmente queria”, disse.

Presença masculina

Entre as imagens da exposição chama a atenção a presença do construtor Amadeu Monteiro, 84, que enfrentou o estigma da doença, ingenuamente tida como exclusivamente feminina, há 20 anos. Amadeu retirou uma das mamas  e agora incentiva mulheres e homens a realizarem o exame diariamente, alertando sobre a importância da prevenção.

Saiba mais

A jornalista Vera Golik perdeu a mãe e um irmão na luta contra o câncer e o fotógrafo sociólogo, Hugo Lenzi, perdeu o pai que também foi diagnosticado com a doença. Após os acontecimentos, o casal resolveu investir no projeto.

Números

Em números, 70% das mulheres diagnosticada com o câncer no Brasil são abandonadas por seus companheiros, apontou uma pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). No projeto “De Peito Aberto”, a jornalista Vera Golik presenciou, de perto, a situação, conhecer e contar as histórias de vida das personagens.

Publicidade
Publicidade