Publicidade
Cotidiano
Educação

Escola de Manaus começa a estimular a inteligência socioemocional em sala de aula

LIV funciona para que o estudante consiga apreender como lidar com situações de estresse e problemas pessoais, além de auxiliar na formação de cidadãos humanizados 13/03/2018 às 11:34
Show vida0811 02f
Criado no Rio de Janeiro, o projeto chega em Manaus através da Rede La Salle de Ensino
Maria Paula Santos Manaus (AM)

Há mais de quatro séculos antes de Cristo, Aristóteles já destacava a importância de se prover uma educação que preparasse as pessoas plenamente para a vida, afirmando que “educar a mente sem educar o coração não é educação”. Levanto essa ideologia à frente, o LIV - Laboratório de Inteligência de Vida - foi fundado, no Rio de Janeiro e este ano chegou em Manaus por meio da escola La Salle, empregando o projeto ao terceiro ano do ensino médio.

O Laboratório Inteligência de Vida é um programa socioemocional criado para escolas. A visão é de que apenas matérias rígidas não são mais o suficiente e precisamos pensar no lado humano desses alunos. O projeto é uma iniciativa da Eleva Educação do Rio de Janeiro, que é uma empresa que possui mais de 65 escolas e 50 mil alunos, sendo o maior grupo do Brasil e o quinto do mundo em seu segmento. 

“Nosso programa foi pensado a partir da necessidade de oferecer uma formação integral para nossos alunos. Uma formação que unisse os conhecimentos diversos e a inteligência socioemocional. Após estudos e pesquisas internacionais, produzimos o nosso próprio material”, afirmou Sérgio Oliveira, consultor comercial da Eleva Educação na região Norte. 

LIV

O LIV trabalha com competências sociais e emocionais, que se desdobram em atitudes, hábitos, e comportamentos, podendo ser aprendidos e experimentados na relação com o outro e no espaço da escola, da família e da sociedade.  Com ele pode-se aprender a gerenciar conscientemente as emoções, alcançar metas, estabelecer relações sociais harmônicas e tomar decisões de maneira responsável.

"Nosso grande diferencial é dialogar com os alunos dentro de seus respectivos universos. Por essa razão, os investimentos do LIV são direcionados para ferramentas que possibilitem o engajamento do aluno com as habilidades socioemocionais. Para isso, utilizamos de recursos como jogos, minisséries exclusivas, dinâmicas e até a participação de influenciadores digitais", comentou o consultor. 

Outro destaque do projeto é a interação junto aos pais. "A equipe do LIV acredita que a compreensão dos responsáveis – em relação aos materiais que serão utilizados – pode facilitar a criação de um vínculo com as crianças e ajudá-las nesse processo de conversar, compartilhar, compreender e trabalhar inteligência socioemocional. Além de conseguir aproximar escola e responsáveis em prol de um mesmo objetivo”, relata.

Prática

O objetivo é desenvolver ao máximo as capacidades dos estudantes, o setor educacional normalmente não dava a devida importância às questões emocionais dos alunos, mas hoje é comprovado cientificamente que elas influenciam bastante nas oportunidades do futuros desses jovens, fazendo-os destacar-se não apenas como profissionais e acadêmicos mas também como cidadãos. 

O sistema funciona da seguinte forma: são inseridas aulas no cronograma diário de matérias ministradas, como uma disciplina qualquer, o diferencial é que não é o tipo de aula com avaliação ou provas, mas sim uma conversa. O professor senta em roda com os alunos, fazendo dinâmicas e discutindo sobre os temas. A idealização é ter alunos conversando entre si e não segurando papel e caneta. Em Manaus o La Salle é a escola pioneira à aderir o projeto e nele fornecerá o ensino de habilidades indispensáveis para os novos desafios do século XXI, de acordo com o LIV: colaboração, criatividade, comunicação, proatividade, pensamento crítico e perseverança.

"Acreditamos que a troca de conhecimento é essencial nos diferentes espaços em que os alunos estão inseridos. Por isso, nosso programa se expande para além do material em sala de aula, incluindo os pais e responsáveis nessa construção." Sérgio Oliveira, Consultor Comercial

Publicidade
Publicidade