Publicidade
Cotidiano
TERCEIRO SETOR

Projeto que leva educação tecnológica ao interior inaugura primeira sede em março

Com nova estrutura, projeto atenderá aproximadamente 70 mil jovens em situação de vulnerabilidade social ou com algum tipo de deficiência. Centro ficará no município de Juruá 07/01/2018 às 15:10
Show 1312459
Foto: Divulgação
Álik Menezes Manaus (AM)

O projeto “Amazonas Sem Fronteiras” vai inaugurar a primeira sede no Amazonas no mês de março. O Centro de Educação Tecnológica do projeto, com sede no município de Juruá, ofertará aulas presenciais e interativas via Internet sem fio e Smart TVs. Com a nova estrutura, o projeto atenderá aproximadamente 70 mil jovens em situação de vulnerabilidade social ou algum tipo de deficiência física ou mental.

André Neves, especialista em Tecnologia da Informação e um dos idealizadores do projeto, disse que, com a sede, o projeto vai impulsionar a formação tecnológica de povos e comunidades tradicionais do Amazonas e promover a conectividade e desenvolvimento sustentável no interior do Estado.

“É a realização de um sonho, muito gratificante, principalmente para a gente que acredita que a educação é a base de tudo. Tem gente que fala que as pessoas dessas comunidades só pescam e não estudam. Vamos mostrar que isso não existe e que ele pode pescar seu peixe, fazer sua farinha, mas também pode estudar, se desenvolver e aprender cada vez mais”, disse.

O ativista contou ainda que a sede ficará no município de Juruá, mas jovens de outros municípios como São Paulo de Olivença, Fonte Boa, Carauari, Tefé, Maraã, Coari e Eirunepé também serão beneficiados. “O sinal de Internet sem fio vai ser transmitido da sede da escola (no município de Juruá) para as demais salas de aula online (instaladas em 8 subpolos nas cidades citadas à cima)”, contou.

André Neves destacou a importância do projeto no “coração do Amazonas” rompendo e levando educação e acesso à Internet na região que sofre com o isolamento ou serviço precário. “Nossa proposta é romper fronteiras como o isolamento, a vulnerabilidade social, a falta de conhecimento e a desigualdade social, entre outros. Essa sede será o marco de novas possibilidades para esses jovens do Amazonas”, afirmou.

Ele informou que o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e Adolescentes de Juruá assinou um termo de fomento com a Sister Special e lançaram, no dia 15 de dezembro, uma plataforma online que foi desenvolvida para orientar contribuintes sobre como eles podem destinar parte do Imposto de Renda (IR) para o projeto.  Quem quiser detinar parte do IR para o projeto deve acessar o site fmdca.jurua.am.gov.br. Outras contribuições podem ser feitas no link www.amazonassemfronteiras.org.br/doação.

Cursos técnicos na área de Tecnologia

Será oferecido o curso de Técnico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Ao final do curso, com duração de dois anos, os jovens poderão atuar como consultor estratégico em Tecnologia da Informação, getsor de segurança em TI e Projetista de Soluções em TI¸eles também poderão atura no gerenciamento, segurança e implantação de redes, sites dentre outras soluções tecnológicas e áreas de atuação possíveis com esta formação técnica. Os cursos terão a duração de 24 meses e 2.920 horas-aula, autorizados pelo MEC- Ministério da Educação e Cultura.

Publicidade
Publicidade