Publicidade
Cotidiano
Notícias

Pros inicia atividades dividindo posição de maior bancada na CMM

Mudanças de filiações dos vereadores fez com que o Partido Republicano da Ordem Social (Pros) alcançasse o posto de maior bancada da Casa 08/10/2013 às 07:55
Show 1
Vereadores trocam de partido e Pros tem a maior bancada da CMM
Lúcio Pinheiro Manaus, AM

Após o troca-troca de legenda, o Partido Republicano da Ordem Social (Pros) vai dividir com o PSDB, PSD e PTN o posto de maior bancada na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Liderado pelo vice-governador José Melo, a nova legenda recebeu a filiação de quatro vereadores:  Jairo da Vical (ex-PTN), Arlindo Júnior (ex-PPL), Roberto Sabino (ex-PRTB) e Vilma Queiroz (ex-PTC).

De acordo com três dos quatro recém-filiados ao Pros, por causa do bom relacionamento entre a administração do prefeito Artur Neto (PSDB) e a do governador Omar Aziz (PSD), da qual José Melo faz parte, o partido não tem outro caminho a não ser o de se aliar à base de sustentação da prefeitura tucana na Câmara Municipal de Manaus (CMM). “Quando o governador está bem com o prefeito, a gente está aliado”, disse Roberto Sabino, ontem.

Ex-secretário de Amazonino Mendes (PDT) na Prefeitura de Manaus, o vereador Arlindo Júnior disse que a bancada do Pros ainda precisa se reunir com Artur Neto, mas não fará oposição. “Vamos conversar com o prefeito. Mas não estamos querendo fazer oposição. Não é possível ser oposição. Porque somos aliados do governador Omar, e o prefeito está bem com o governador. Nós seguimos o governador Omar e o vice-governador José Melo, que é o líder do nosso partido”, declarou o vereador.

Jairo da Vical disse que os quatro vereadores ainda não conversaram com José Melo, mas que o cenário o leva a afirmar que a bancada do Pros na CMM caminhará com a base do prefeito. “Temos essa semana para conversar com o líder maior (José Melo), mas a tendência é caminhar junto com o prefeito. Pelo o quadro que está se pintando, o Pros vai ser da base aliada”, afirmou o vereador.

Vilma Queiroz não atendeu as chamadas para o telefone 88xx-xx35. A vereadora foi eleita em 2008, e reeleita em 2012. Em 2010, ela se licenciou da CMM para disputar uma vaga na ALE-AM. Obteve 9,3 mil votos, o que não foi suficiente para se eleger. A parlamentar integra a Mesa Diretora da Câmara como 3ª secretária.

Dos três vereadores do Pros ouvidos pela reportagem, todos confirmaram que mudaram de sigla para lançar candidatura em 2014. Jairo da Vical quer disputar uma das 24 vagas de deputado estadual na ALE-AM. Arlindo Júnior disse que ainda não decidiu se será candidato a deputado estadual ou federal.

Arlindo Júnior afirmou que só saiu do PPL, por onde foi reeleito vereador, em 2012, porque a sigla havia decidido que os seus membros que têm mandato não poderiam disputar as eleições em 2014.

“O partido me comunicou que estava formando  um grupo de filiados que teve entre 5 mil e 6 mil votos nas últimas eleições para se candidatar em 2014, e quem tinha mandato não poderia disputar. Então, conversei com eles e fui atrás de um partido, e me identifiquei com o Pros”, explicou Arlindo Júnior. O presidente do PPL, Dr. Campelo, não atendeu ao telefone 92xx-xx70. Em junho, o concursado Mirlan Matos de Menezes foi empossado na função de inspetor de segurança da Câmara Municipal de Manaus (CMM). A contratação do servidor foi motivada pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mirlan, que passou em 5º lugar no concurso. Ele trabalhava como professor de História na rede pública de ensino, segundo informação da Diretoria de Comunicação da CMM.

“Eu já tinha perdido as esperanças de ser chamado nesse concurso. Foi uma surpresa boa. Afinal, eu fui o quinto colocado e tinha direito à vaga. Já havia até mudado de endereço quando fui procurado pela Câmara no final de maio para assumir a vaga”, afirmou o servidor ao ser empossado.

Além do inspetor de Segurança, a CMM convocou também o 6º colocado, Roni Almeida Araújo. No entanto, ele não compareceu no prazo estipulado e a Diretoria de Administração da CMM convocou, por meio de edital publicado no Diário Oficial de 12 de junho de 2013, o candidato Ricardo Jander Cardoso Marques, que ficou na 7ª colocação e já está integrado aos quadros da Câmara. Pedro Fernandes foi aprovado no mesmo cargo.

O foco agora é o interior do Estado

Na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), o deputado Sidney Leite foi o único parlamentar que migrou para o Pros, de José Melo. A segunda mudança na Casa foi a saída do deputado Marco Antônio Chico Preto do PSD (do governador Omar Aziz) para o PMN.

Ontem, o Pros começou a se mobilizar para arregimentar lideranças políticas no interior do Estado. “Vamos começar as conversas a partir de agora”, declarou o vice-presidente da legenda, Sidney Leite.

O vice-presidente estima que a sigla atrai para os seus quatro de 12 a 15 prefeitos. Se conseguir, o Pros se aproximará do PMDB do Senador Eduardo Braga e provável adversário de José Melo em 2014. Os peemidebistas elegeram 18 prefeitos em 2012. Já o PSD do governador Omar Aziz ganhou as disputas em 23 das 61 prefeituras do interior. Hoje são 22.

Juntos, PSD, de Omar Aziz, e PMDB, de Eduardo Braga, comandam 40 das 61 prefeituras no interior do Estado. As demais legendas que conquistaram prefeituras nas eleições de 2012 foram o PRP, PDT, PTB, PT, PSB, PCdoB, PR e PP.



Publicidade
Publicidade