Publicidade
Cotidiano
Notícias

Proteção aos sítios e registros arqueológicos encontrados em obra da rodovia Manoel Urbano

Seinfra faz resgate e monitoramento nos seis sítios arqueológicos identificados no ‘caminho’  da duplicação da AM-070 02/12/2015 às 14:32
Show 1
Os locais, identificados como sítios arqueológicos, foram delimitados e estão recebendo equipes de especialistas
Acritica.com Manaus (AM)

Ao longo da rodovia Manoel Urbano (AM-070), que está passando por obras de duplicação, realizadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), foram encontrados sítios e registros arqueológicos. Com o intuito de preservação do material existente, que também é um condicionamento legal em toda obra de grande impacto, a Seinfra, por meio da empresa responsável pela elaboração dos estudos e programas ambientais de suas obras, mantém uma equipe no local, formada por arqueólogos, historiadores, biólogos, museologistas e pedagogos. O objetivo é fazer o resgate e monitoramento arqueológico nas obras de duplicação da rodovia AM-070.

De acordo com a coordenadora geral do projeto de resgate arqueológico, monitoramento arqueológico e educação patrimonial das obras, Ivone Maria Bezerra, atualmente a equipe, que conta com dez pesquisadores, está fazendo estudos no terceiro sítio, dos seis identificados. Ela explica que, antes dessa equipe, outro grupo de especialistas esteve nos locais para fazer o diagnóstico da área, para poder delimitar os sítios.

Após essa etapa, e com o projeto de salvamento do sítio aprovado, vieram os atuais pesquisadores para fazer prospecção das áreas. “Quando encontramos material de interesse da arqueologia, abrimos as unidades arqueológicas. Estamos na fase de fazer as unidades arqueológicas, onde foram encontrados fragmentos de peças, e de delimitação da área. Em algumas situações, as peças foram achadas distantes dos polígonos delimitados”, explica.

Ela informou que, nos sítios, foram encontrados cerâmicas e artefatos líticos (objetos feitos, pelo homem com pedra lascada ou polida, para usar  no dia a dia). No  primeiro sítio foram catalogadas mais de mil peças.

Ivone esclarece que essa área da Amazônia já foi bastante estudada por arqueólogos do projeto “Amazônia Central”.

Importância

O arqueólogo e doutorando em antropologia Rhuan Carlos Lopes, que coordena o trabalho de campo, lembra que existem sítios e vestígios arqueológicos por toda a AM-070. Segundo ele, esse terceiro sítio foi bastante revolvido pela ação do homem. Porém, apesar de bastante impactado, a equipe conseguiu resgatar bastante material arqueológico, inclusive fora do perímetro demarcado.

Todo o material colhido será levado para pesquisas mais amplas, para definir a quais grupos étnicos pertencem e em qual período viveram na região. O pesquisador sugere que é algo do período pré-colonial e afirma que seja possível que mais materiais sejam encontrados. “A região é muito frutífera do ponto de vista da arqueologia”, avalia.

Para a museologista Bruna de Campos, esse trabalho tem uma importância significativa, pois leva à comunidade informações sobre o que está sendo retirado das áreas. “É importante resgatar a arqueologia amazônica. Com isso, podemos compreender melhor a ocupação que aconteceu na região”, esclarece.

Conscientizando a população

Vinculado ao projeto de resgate arqueológico dos sítios localizados ao longo da AM-070, existe um projeto de educação patrimonial, no qual a comunidade local, mais especificamente as escolas, participa de palestras com os arqueólogos.

“Nossa preocupação é envolver a comunidade com o trabalho e apresentar o projeto. Muitas das crianças nunca tiveram contato com a arqueologia, a não ser por meio de filmes. Com o projeto, elas são envolvidas”, esclarece Vera Portal, coordenadora do projeto de educação patrimonial.

Ainda segundo ela, a receptividade está sendo muito boa, pois abre espaço para que as crianças saciem suas curiosidades. Em algumas situações, elas citaram que, em seus quintais ou num terreno próximo a suas casas, viram objetos semelhantes. “A comunidade tem oportunidade de saber mais sobre seu passado. Isso é excelente”, afirma.

Publicidade
Publicidade