Publicidade
Cotidiano
Notícias

Protesto de estudantes contra situação do transporte coletivo termina em violência

Policia militar é acusada de dispôr de violência para dispersar manifestação 13/06/2013 às 22:42
Show 1
Policiais vigiam a movimentação no Terminal 1
Bruno Strahm Manaus (AM)

Um grupo de aproximadamente 70 estudantes, que realizava protesto contra a situação do transporte coletivo em Manaus, foi reprimido por policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) na noite desta quinta-feira (13) no Terminal 1, na avenida Constantino Nery, Centro da cidade. Bombas de gás, spray de pimenta, balas de borracha, golpes de cacete e coturnos, além de detenções, foram usadas para dispersar a manifestação.

Estudantes secundaristas e universitários se concentraram no fim da tarde na Praça da Matriz, Centro, e iniciaram uma passeata que cruzou a Rua Floriano Peixoto, avenida Getúlio Vargas, Leonardo Malcher, Epaminondas e terminou no Terminal 1, onde o grupo se sentou no meio da pista, impedindo a circulação de coletivos.

“Viemos para cá para protestas contra o nosso falido sistema de transporte urbano, onde pagamos uma sobretaxa por um serviço precarizada. São coletivos velhos, maquiados, sempre lotados e que demoram a passar”, disse o estudante Ítalo Santos Almeida, 17, secundarista.

Segundo populares que testemunharam a cena,  a polícia militar apenas acompanhava a manifestação sem se intrometer, por volta de 19h40, a Rocam foi acionada. “Eles jogaram spray de pimenta contra nós, depois ‘desceram a porrada’, teve mulher que foi atingida com chute na cabeça, vários levaram tiro de bala de borracha. Quando alguns se levantaram para falar sobre o direito constitucional de se manifestar eles foram lá e levaram na marra para os camburões”, afirmou Matheus Silva, 19, universitário da Ufam.


Outros ainda disseram ter seus celulares tomados pelos policiais, com imagens do flagrante das agressões. Por volta de 20h30 o protesto havia terminado, mas havia um numero grande de viaturas da policia militar em volta do terminal.

Os estudantes informaram que outra manifestação semelhante está marcada para o próximo dia 20 de junho. “Esta manifestação é de caráter nacional, todos estão fartos de ter que pagar muito para tão pouco no transporte público”, finalizou Letícia Ramos, 18, secundarista.

Polícia se defende

De acordo com Tenente Muniz, da Força Tática, os manifestantes entraram em confronto com as pessoas que aguardavam o ônibus no terminal e a polícia foi obrigada a agir.

Oito manifestantes foram presos e encaminhados ao 1º Distrito Integrado de Polícia, onde foram autuados por desacato e perturbação da ordem pública.

Publicidade
Publicidade