Publicidade
Cotidiano
Notícias

Protesto pelo Impeachment de Dilma em Manaus reuniu 6,8 mil pessoas, segundo Polícia Militar

Manifestações anteriores tiveram a adesão de: 160 pessoas em novembro de 2014; 22 mil em março deste ano; e 900 em abril 16/08/2015 às 17:56
Show 1
Protesto segue em direção à avenida Djalma Batista
Luciano Falbo e Janaína Andrade ---

O protesto pelo Impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) reuniu cerca de 6,8 mil pessoas, segundo a última estimativa da Polícia Militar. O público é abaixo do esperado pelos organizadores que previam pelo menos 50 mil adeptos e nas previsões mais otimistas até 100 mil manifestantes.

Os movimentos de rua pelo Impeachment de Dilma Rousseff tiveram público de 160 pessoas em novembro de 2014, 22 mil em março deste ano e 900 manifestantes em abril deste ano. 

Um dos organizadores do protesto de hoje, o DJ Kleber Romão afirma que a intenção da mobilização é sensibilizar o Congresso Nacional para que a pauta do Impeachment entre em votação.  

"Há  dois estamos trabalhando nesse movimento. E chegou num limiar que a crise na política é muito grande e temos que ter foco e sermos pragmáticos. Agora é o momento de falar no poder das ruas. O povo tem ir para ruas,  mostrar que tem força,  que o poder emana do povo,  e dessa forma fazer cobranças  certas para que os políticos atendam as nossas pautas. O país está vivendo uma crise política, econômica,  social e moral de todas as ordens. E agora a ordem é  a gente cobrar os nossos representantes no Congresso para que a gente possa inserir a pauta do impeachment,  pois a Dilma para o país representa hoje todo esse sentimento de podridão  que esta em vigência. A ideia é  nós mobilizados as pessoas para fazermos com que elas entendam o que está acontecendo com o nosso País  e fazer com que nossos representantes no Congresso comecem a adotar as atitudes necessárias".

Foto: Euzivaldo Queiroz

De acordo com Romão,  políticos do estado tem começado a se manifestar favoráveis ao movimento,  mas ainda de forma tímida. "Eles ainda estão agindo com medo, sem saber ao certo o que está acontecendo nas ruas. O deputado Pauderney Avelino falou hoje comigo.  Ele não pode vir mais a manifestação  pois foi chamado para uma reunião de emergência em Brasília. Mas, ele me disse que o que depender dele a oposição a Dilma está feita e a bancada do Amazonas está representada. E a partir de agora nós vamos procurar os outros membros da bancada do Amazonas na busca de um posicionamento concreto.  Nós vamos fazer contato, agendar reuniões para cobrar esse posicionamento em relação ao impeachment da presidente",  adiantou.

A cerimonialista  Maira Castro,  51,  contou que sua principal motivação para participar do movimento Fora Dilma é a necessidade de mudanças que o país necessita. "A gente precisa colocar a cara na rua. É hora de mudança e ficar dentro de casa confortavelmente vendo o país ser saqueado não será a solução. Juntos nós somos mais fortes e vamos  trazer de volta a honestidade,  O caráter das instituições, porque tudo está corrompido ".

Publicidade
Publicidade