Publicidade
Cotidiano
Notícias

PV e PR criam veto de filiação de políticos com mandato

As duas legendas decidem barrar filiação de parlamentares durante a janela partidária para evitar insatisfação de pré-candidatos 20/02/2016 às 12:04
Show 1
De acordo com Everaldo Farias, atualmente o PV possui 82 pré-candidatos, mas a legislação eleitoral só permite 62
Janaína Andrade ---

Enquanto alguns partidos – por pressão de filiados que são pré-candidatos, anunciam veto a entrada de políticos com mandatos, em função da brecha aberta através da chamada “janela partidária”, o PTN, do deputado Abdala Fraxe, se prepara para escancarar as portas com a debandada de políticos descontentes.

A "janela" foi criada pela Emenda Constitucional 91, promulgada nesta quinta-feira (18) pelo Congresso Nacional, que abre espaço para que políticos detentores de mandatos eletivos proporcionais (deputados e vereadores) possam mudar de partido sem a perda do cargo. Segundo ela, eles têm 30 dias para mudar de legenda sem punição por infidelidade partidária.

Em Manaus, o PV, do vereador Everaldo Farias e o PR, do deputado federal Alfredo Nascimento já emitiram avisos barrando a filiação de vereadores e deputados com mandato.

Na quinta-feira, em evento do Partido Verde, realizado no auditório Belarmino Lins, localizado na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), foi assinada uma resolução que veta entrada de pré-candidatos a vereador com mandato.

“Isso é algo que faz parte. É uma forma de equilibrar a disputa interna. A janela partidária acabou preocupando os pré-candidatos do PV, com razão. E os 16 membros do diretório estadual entenderam que era necessário estabelecer critérios para um político entrar no partido, um deles é não estar com mandato. Isso proporciona uma segurança interna para os pré-candidatos, pois acreditamos que a linha de corte nesta eleição deva ficar entre 3,5 mil votos”, disse o presidente municipal da sigla, Everaldo Farias.

De acordo com Farias, atualmente o PV possui 82 pré-candidatos, mas a legislação eleitoral só permite 62. “Então na convenção municipal vai ter corte”, ressaltou o parlamentar.

Já o PR, que em Manaus é comandado pelo pré-candidato a prefeito, Marcelo Ramos, também adotou a mesma medida. “Temos compromisso com nossos candidatos de não filiar vereadores com mandato e honramos nossos compromissos. Nossa resolução é a nossa palavra”, afirmou Ramos, que na corrida pela prefeitura de Manaus, flertou com PV, PDT e Rede, deixou o PSB e migrou para o PR, de Alfredo Nascimento, em setembro de 2015.

Na contramão da postura adotada pelo PV e PR, nos bastidores a informação é de que o PTN, presidido no Amazonas pelo deputado Abdala Fraxe - via “janela partidária”, deve arrematar nos próximos dias os deputados Platiny Soares (PV), Francisco Souza (PSC) e Augusto Ferraz (DEM). A reportagem tentou entrar em contato com o deputado Abdala por meio do telefone 993xx-xx19, mas não foi atendida até a publicação desta matéria.

Chapão

Na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Joelson Silva, que hoje pertence ao partido do presidente da Casa, Wilker Barreto - o PHS, vai deixar a sigla e  se hospedará no PSC da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas (Ieadam).

“É evidente que pela votação que tive na última eleição (7,2 mil votos) cria entre os colegas da sigla um pouco de receio. Não sou eu que decido isso, eu pertenço a um grupo político. Existe uma possibilidade deu ir para o PSC, mas é algo que está, ainda, sendo conversado”, disse Joelson Silva.

Três partidos que pertencem aos grandes caciques da política amazonense - PSDB do prefeito Artur Neto; PSD, do senador Omar Aziz e o Pros, do governador José Melo (Pros), devem forma um “chapão”, na eleição deste ano, estabelecendo uma linha de corte entre sete a oito mil votos, o que estaria ameaçando alguns vereadores.

O PSDB hoje possui cinco vereadores - Elias Emanuel, Plínio Valério, Ednailson Rozenha, Ewerton Wanderley e Mário Frota, estes dois últimos estariam buscando novos abrigos políticos, através da janela partidária.

No PSD, que hoje possui quatro cadeiras na CMM, a ameaçada, segundo os bastidores, é Glória Carratte, que chegou a ensaiar uma pulada para o PV, onde está filiado o marido, Miguel Carratte, mas foi vetada.

O Pros, que assim como o PSDB, possui cinco vereadores, ainda não deu sinal de debandada. Hoje, os detentores de mandato do partido de Melo, na CMM, são: Amauri Colares, Jairo da Vical, Arlindo Júnior, Roberto Sabino e Sildomar Abtibol.

Publicidade
Publicidade