Publicidade
Cotidiano
Notícias

Quadrilha é presa suspeita de roubar e adulterar motocicletas em Manaus

Eles foram presos no momento em que adulteravam três motos. Outras duas pessoas foram presas por comprar as motos adulteradas e vendê-las no site OLX 13/11/2015 às 12:24
Show 1
Ao todo, sete pessoas foram presas: cinco integrantes da quadrilha e mais duas pessoas
Fábio Oliveira Manaus

Cinco pessoas foram presas em flagrante pela Polícia Civil suspeitas de integrar uma quadrilha de roubo e adulteração de motocicletas em Manaus. Mais duas pessoas também foram presas.

Os integrantes da quadrilha são Paulo Sérgio de Souza Pereira, 19, Joelson Pereira Araújo, 23, Felipe Almeida dos Santos, 22, sua namorada Kezia Fernandes dos Anjos, 19, e Natanael dos Santos Barbosa, 23. 

O quinteto foi apresentado nesta manhã na sede da Delegacia Geral, no Dom Pedro, Zona Centro-Oeste. As prisões ocorreram na tarde de ontem, em uma quitinete na rua C, loteamento Castanheira, bairro Zumbi 2, Zona Leste, que era usada para adulterar os veículos. 

Eles foram presos por policiais da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv) no momento em que adulteravam três motos. Uma denúncia anônima ajudou a Polícia. Foram apreendidas cinco motocicletas e um kit de adulteração. 

As informações foram repassadas pelo delegado Péricles Nascimento, titular da Derfv. De acordo com ele, a partir da denúncia, a equipe da especializada montou um esquema para investigar a quadrilha. “Levamos uma semana para investigar”, destacou.

Outras duas pessoas também foram presas, Daniel da Silva, 33, e Herico Alan Pereira de Souza, 26, suspeitos de comprarem as motos adulteradas.

Segundo o delegado Péricles Nascimento, Herico comprava as motos adulteradas da quadrilha e vendia pelo OLX.  Daniel foi preso também ao comprar moto da organização criminosa. Kezia era a mulher que atraia as vítimas. Ela pedia carona e os comparsas davam o bote.

O bando irá responder pelos crimes de adulteração de sinal identificador de veículo automotor, uso de documento falso, associação criminosa e receptação qualificada.

Publicidade
Publicidade