Publicidade
Cotidiano
tecnologia e riscos

AM registrou 100 mil ataques cibernéticos a usuários de dispositivos móveis

Empresa de aplicativos de segurança mostra que Estado é o segundo da região Norte a registrar ataques de programas maliciosos em dispositivos móveis 14/06/2016 às 23:01
Show crimes
No Brasil já são 72 milhões de usuários de smartphones, o alvo dos bandidos (Foto: Arquivo/AC)
Silane Souza Manaus (AM)

O usuário de dispositivos móveis no Amazonas foi o segundo principal alvo de criminosos especialistas em informática e internet (cibercriminosos) no Norte do Brasil, durante o mês de maio, desse ano. De cada três ataques cibernéticos ocorridos na região, um se concentrou no Estado. Foram mais de 99,5 mil ameaças de programas maliciosos (malwares) identificadas nesse período, de acordo com dados do Mapa de Ameaças Digitais desenvolvido pela empresa de aplicativos de segurança PSafe. 

Os principais tipos de ataques registrados foram Trojan (programa que se instala no dispositivo criando uma porta para uma possível invasão) e Adware (software que exibe propagandas e anúncios sem a autorização do usuário, tornando o computador e a conexão mais lentos). Seguido de Riskware (programa que têm funções de segurança que podem ser usadas para iniciar ou parar um processo ou serviço do computador). Ao todo, foram bloqueados mais de 55 mil Trojan, 16 mil Adware e sete mil Riskware. 

O diretor executivo da PSafe, Marco DeMello, destacou que o brasileiro é um apaixonado por smartphones e outros dispositivos móveis. “Recentemente, o número de pessoas que usam a internet por meio desses dispositivos ultrapassou a marca de 72 milhões. Esta paixão, é claro, faz com que hackers e crackers tenham identificado os dispositivos móveis como uma grande oportunidade para roubar dados e aplicar outros golpes e crimes”, apontou. 

Para o professor do Núcleo de Computação da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST-UEA), Fabio Santos, para se proteger é importante que o usuário de smartphone instale um antivírus, pois a ferramenta protege o celular de programas maliciosos. Outra conduta de segurança é não baixar aplicativos que não sejam disponibilizados pelas lojas oficiais, como Play Store e App Store para sistemas Android e IOS, respectivamente. 

“A pessoa deve evitar baixar apps de origem desconhecida e de sites que não são seguros. O mais recomendável é que ela instale um antivírus que ele vai barrar a instalação de um programa malicioso no dispositivo móvel. Tem alguns que são gratuitos e outros pagos”, afirmou  Santos. Ele destacou a importância dessa medida de segurança contra softwares de espionagem. “Esses malwares ficam monitorando tudo o que você faz. Capturam senha, dados pessoas em geral e enviam para os crackers”.

Conforme o professor, ao contrário dos hackers (profissionais que têm profundo conhecimento em segurança de dados e informação), os crackers usam o conhecimento em informática para fazer ataques ilícitos. “Isso é uma coisa muita séria. Como as pessoas utilizam cada vez mais smartphone para fazer serviços pessoais, os crackers estão desenvolvendo novas estratégias para aplicar golpes e se aproveitam de pessoas que não tem informação”, frisou.

Pará lidera com 130 mil ameaças

Além do Amazonas, outros Estados apareceram na lista de mais visados por cibercriminosos na região Norte do País,   são eles Pará, em primeiro lugar superando a marca de 130 mil programas maliciosos bloqueados, e Amapá, com 26 mil ameaças combatidas.

No âmbito nacional, os Estados da região Sudeste representam quase a metade das ameaças cibernéticas identificadas e bloqueadas pela PSafe, somando mais de 2,1 milhões. A região Nordeste aparece em segundo lugar (1,1 milhão), bem à frente do Sul (513 mil), Centro-Oeste (308 mil) e Norte (309 mil).

De acordo com o mapeamento, no mês de maio, foram bloqueados mais de 2,8 milhões de trojans, seguido de pouco mais de 869 mil adwares. Os dados do Mapa de Ameaças Digitais do Brasil foram coletados a partir das tentativas de ataques barradas pelo aplicativo PSafe Total, assistente virtual de segurança e performance para smartphones com sistema operacional Android, que possui mais de 75 milhões de downloads e 21 milhões de usuários ativos.

Números

32% das ameaças de programas maliciosos foram identificadas e bloqueados pela PSafe, em maio, no Amazonas. O Estado foi o segundo mais visado da região Norte.

Frase

"Para se ter uma ideia, todos os dias o PSafe Total bloqueia mais de 500 mil páginas infectadas e mais de 130 mil ameaças de malwares”. Marco DeMello, diretor executivo da PSafe.

Publicidade
Publicidade