Economia

Quase 90% dos municípios do Amazonas registram crescimento no PIB em 2019

Manaus registrou o maior PIB dentre as cidades do Norte e Nordeste, e o sexto maior do país, com valor de R$ 84,867 bilhões

Portal A Crítica
17/12/2021 às 17:09.
Atualizado em 08/03/2022 às 19:13

(Foto: Reprodução)

Um levantamento elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que nove em cada dez dos 62 municípios do Amazonas – 55 ao todo – registraram crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) referente ao ano de 2019. Em valores nominais, o resultado foi da ordem de R$ 108 bilhões, um aumento de 8,06% em relação a 2018.

Segundo dados, Manaus registrou o maior PIB dentre as cidades do Norte e Nordeste, e o sexto maior do país, com valor de R$ 84,867 bilhões. O destaque fica para Novo Airão, município que registrou maior crescimento, com variação de 23,45% na comparação entre 2018 e 2019. O aumento do PIB de Novo Airão foi atribuído à atividade de alojamento (serviços de alojamento em hotéis e similares) que teve um salto de 173,31%.

Manaus, onde se concentra o Polo Industrial, com PIB de R$ 84,867 bilhões, detém 78,45% da participação de todo o PIB do Amazonas. Coari possui o segundo maior PIB do estado, com R$ 2,212 bilhões e participação de 2,04%. Já Itacoatiara vem em terceiro lugar do PIB dos municípios, com participação de 1,88% e valor de R$ 2,035 bilhões.

Quando se exclui Manaus, os 10 maiores PIBs dos municípios do interior têm participação de 10,52% no total do PIB do Amazonas, e os 10 menores municípios têm participação de 1,04% no PIB do estado.

Manaus – No contexto regional, o município de Manaus teve o maior PIB da região Norte do Brasil, alcançando o valor de R$ 84,867 bilhões, seguido do município de Belém, com o total de R$ 32,405 bilhões. Ao considerar as regiões Norte e Nordeste, Manaus lidera o ranking das cidades, com o maior PIB das duas regiões, seguido do município de Fortaleza que fica em segundo lugar com R$ 67,412 bilhões.

No ranking nacional, a capital do Amazonas ocupou a sexta colocação, ficando atrás apenas de São Paulo (R$ 763,806 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 354,981 bilhões), Brasília (R$ 273,614 bilhões), Belo Horizonte (R$ 97,205 bilhões) e Curitiba (R$ 96,088 bilhões).

Setores – A Indústria amazonense em 2019 apresentou participação de 30,49% no PIB do estado, ao contabilizar o total de R$ 32,983 bilhões, contra R$ 28,935 bilhões de 2018, um crescimento nominal de 13,99%. Manaus, devido a sua Zona Franca, teve participação de 90,47% no setor e registrou valores de R$ 29,839 bilhões. O crescimento nominal foi de 13,05% em relação ao ano de 2018, que totalizou R$ 26,394 bilhões.

O município de Coari ocupou a segunda colocação no ranking dos 62 municípios, com valores de R$ 1,092 bilhão em 2019, e um crescimento nominal de 13,96% em relação a 2018, que registrou R$ 957,948 milhões. A participação da Indústria de Coari no Setor Industrial do Amazonas foi de 3,31%, sendo que 94,17% da Indústria do município pertence à Indústria Extrativa (gás e petróleo).

Presidente Figueiredo teve participação de 1,32% na Indústria em todo o estado, ocupando a terceira posição no ranking ao registrar valores de R$ 435,617 milhões para o ano de 2019, contra R$ 325,274 milhões de 2018. Presidente Figueiredo tem participação de 96,96% na extração de minerais de todo o Amazonas.

Em 2019, a Agropecuária do Amazonas totalizou R$ 4,970 bilhões, registrando uma queda de 9,87% em comparação a 2018, quando o resultado foi de R$ 5,514 bilhões. Os cultivos agrícolas que tiveram redução da produção entre 2018 e 2019, foram: a banana (-27,4%), o mamão (-17,6%) e a extração de açaí (-7,5%). Além disso, o principal produto da agropecuária amazonense – a mandioca –, também registrou diminuição (-1,4%) no mesmo período. Por sua vez, as produções de cana-de-açúcar (12,6%) e de abacaxi (5,4%) tiveram crescimento.

O município com maior valor na Agropecuária foi Manacapuru, com R$ 545,461 milhões e participação de 10,97% no total do estado. Itacoatiara ocupou a segunda posição entre os 62 municípios, com o total de R$ 397,874 milhões e participação de 8%. Na terceira posição vem Codajás, com R$ 312,019 milhões e participação de 6,28%. Manaus ocupou a sexta posição, com R$ 206,306 milhões e participação de 4,15% na Agropecuária do Amazonas.

Serviços – O Setor de Serviços do Amazonas registrou crescimento nominal de 5,73% na comparação entre os anos de 2019 e 2018. Em 2019, o Setor alcançou R$ 52,772 bilhões contra R$ 49,912 bilhões de 2018. Manaus é o município com a maior participação no Setor com 72,59% e valores de R$ 38,309 bilhões em 2019. O crescimento desse índice foi de 4,68% em relação a 2018 que foi R$ 36,595 bilhões.

Itacoatiara ocupou a segunda posição no Setor de Serviços dentre os 62 municípios do estado. A cidade registrou em 2019 um valor de R$ 1,313 bilhão, contra R$ 1,189 bilhão de 2018, e crescimento nominal de 10,34%. A participação de Itacoatiara no Setor de Serviços foi de 2,49%. Coari ocupou a terceira posição, com R$ 944,503 milhões e crescimento nominal de 12,10% na comparação com o ano de 2018, que registrou R$ 842,541 milhões.

O Setor de Impostos teve participação de 16,14% no PIB do Amazonas, e seu valor em 2019 foi R$ 17,456 bilhões. Manaus teve participação de 94,59% nesta composição, com valor de R$ 16,512 bilhões. Itacoatiara registrou o montante de R$ 150,764 milhões e participação de 0,86%. Itacoatiara, que ocupou a terceira posição, registrou R$ 84,498 milhões e participação de 0,48%.

Região Metropolitana de Manaus – Em 2019, a Região Metropolitana de Manaus (RMM) composta por 13 municípios (Autazes, Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva e Silves), representou 85,13% na composição do PIB amazonense, totalizando R$ 92,089 bilhões. A soma dos 49 municípios que estão fora da RMM foi de R$ 16,091 bilhões, cuja participação correspondeu a 14,87% do total do estado.

O estudo do PIB dos municípios do Amazonas faz parte dos trabalhos elaborados pelo Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo) da Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan) da Sedecti. Para acompanhar esse e outros estudos elaborados pela Sedecti, basta acessar o site da Sedecti: www.sedecti.am.gov.br e clicar na aba “Indicadores e Mapas”.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por