Publicidade
Cotidiano
Doença contagiosa

Quatro municípios do Amazonas estão livres da peste suína clássica, diz ministério

Em todo o País, 15 estados e o Distrito Federal foram considerados livres da doença altamente contagiosa. No Amazonas estão na lista áreas de Guajará, Boca do Acre, Canutama e Lábrea 20/07/2016 às 13:41 - Atualizado em 20/07/2016 às 13:42
Show ec73d0c4220919d3c0558a5b6b7007e0
A peste suína clássica não é uma zoonose, ou seja, não infecta seres humanos (Foto: EBC)
Agência Brasil Brasília (DF)

Quatro municípios do Amazonas estão livres da peste suína clássica. Em todo o País, foram declarados livres da doença, que é altamente contagiosa, 15 estados e o Distrito Federal. A decisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento foi publicada hoje (20) no Diário Oficial da União.

A decisão do ministério abrange as seguintes unidades da federação: Acre, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e no, Amazonas, as cidades de Guajará, Boca do Acre, sul do município de Canutama e sudoeste da cidade de Lábrea.

O animal contaminado com peste suína clássica apresenta febre, manchas avermelhadas pelo corpo, paralisia nas patas traseiras e dificuldades respiratórias, podendo levar à morte. A peste suína clássica não é uma zoonose, ou seja, não infecta seres humanos.

A determinação ainda proíbe que porcos e material genético desses animais, que tenham vindo de regiões que não estão livre da peste suína, entrem nessas localidades. A proibição também abrange produtos de origem suína, como carnes refrigeradas ou congeladas com ou sem osso; produtos industrializados frescos, crus, curados, salgados ou defumados; miúdos in natura ou salgados, gorduras; pele de porco; e ainda produtos de origem suína destinados à alimentação animal ou para uso em fertilizantes.

Segundo o ministério, esses produtos só podem entrar nos estados livres da doença quando houver uma certificação sanitária expedida pelo serviço veterinário oficial, declarando que foram adotadas precauções para evitar o contato com vírus da peste suína.

Publicidade
Publicidade