Publicidade
Cotidiano
Notícias

Quinta-feira de manifestações e falta de água em Manaus

Centrais sindicais, o movimento estudantil e o Movimento Passe Livre irão realizar diversos atos de protesto em diferentes regiões pela cidade de Manaus durante o dia, a tarde e a noite. Além disso, o cidadão também terá de enfrentar a falta de água em algumas zonas 10/07/2013 às 23:59
Show 1
O último grande protesto em Manaus cerca de 300 mil pessoas
acritica.com Manaus (AM)

As diversas centrais sindicais e sindicatos de trabalhadores como CUT, CTB, Força Sindical, CSP-Conlutas, Sindicato dos professores e dos rodoviários realizam atos pela cidade de Manaus logo no início da manhã. Além da greve geral dos trabalhadores de diversos setores, eles irão reivindicar melhorias nas condições de trabalho e cobrar mais disposição das autoridades estabelecidas contra a impunidade.

Os pontos de concentração são na Bola da Suframa, Rotarória do bairro Armando Mendes, na Zona Leste, Avenida Buriti, no bairro Distrito e Bola do Eldorado na Zona Oeste de Manaus.

O itinerário não foi informado por nenhum dos grupos, mas todos seguirão para o Centro, onde se encontrarão com a outra concentração formada pelos movimentos estudantis e pelo Movimento Passe Livre (MPL).

Policiamento

O Comando Geral da Policia Militar do Amazonas disponibilizou cerca de 800 policiais militares para atuarem nas várias manifestações populares marcadas para ocorrerem durante o dia 11 de julho e mais 1.100 homens que ficarão de sobreaviso nos quartéis da Corporação para entrarem em ação caso haja necessidade da presença de mais policiais nas ruas da Capital.

O comando geral informa que toda Manaus ficará sobre a vigilância da Polícia Militar abrangendo principalmente, a Bola da Suframa, as Sedes da Prefeitura municipal e Palácio do Governo, a rotatória das Avenidas Eduardo Ribeiro com 7 de Setembro incluindo neste espaço, o Centro Histórico e seus principais monumentos, também serão policiados os terminais de ônibus e locais de grandes concentrações de populares.

A operação será desencadeada com policiais do Comando de Policiamento Metropolitano, Comando de Policiamento Especializado, Comando de Policiamento Ambiental e unidades administrativas da Capital, atuando com estratégias de não confronto e sim com medidas preventivas de segurança para garantir o direito constitucional das mais de cem mil pessoas previstas pelos organizadores para participarem do mega evento, com destaque na mobilização dos mesmos pelas ruas e avenidas protegendo o patrimônio público e privado.

A Polícia Militar trabalhará em ação conjunta com a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Civil Metropolitana, Detran e Manaustrans.

Protesto no Centro

Pela parte da tarde, o MPL e diversos grupos do Movimento estudantil do Amazonas, entre eles a UJS, UNE, UEE, ANEL, UBES e UMES organizam manifestações. Eles começaram uma concentração na tarde de quarta-feira (10) em barracas na Praça Dom Pedro II, em frente ao Palácio Rio Branco, uma das três sedes da prefeitura de Manaus. Eles irão cobrar mais uma vez o direito ao passe livre a todos os cidadãos que usam o transporte público coletivo.

Outro ponto de concentração a partir das 15h será na avenida Eduardo Ribeiro, no cruzamento com a Avenida Sete de Setembro. O itinerário da passeata também não foi informado pelos manifestantes.

Falta de água

Além das manifestações, também está programada para a noite de quinta-feira (11) a interrupção do abastecimento de água em três zonas da cidade de Manaus por parte da empresa responsável pela distribuição, a Manaus Ambiental.

De acordo com a empresa o serviço será interrompido para uma manutenção nas bombas de captação de água na Estação de Tratamento de Água I – ETA – localizada no Complexo de Produção da Ponta do Ismael.

As zonas Sul, Centro-Sul e Leste, deverão ficar sem água das 22h até a o fim da madrugada de sexta-feira (12). No entanto, a normalização da distribuição em algumas regiões deve levar 24h.

Publicidade
Publicidade