Segunda-feira, 06 de Abril de 2020
PEDIDO

Rainha Elizabeth II afirma que apoia decisão de príncipe Harry e Meghan

Harry e sua esposa norte-americana Meghan provocaram a crise ao anunciar na semana passada que desejavam abdicar de seus compromissos reais e passar mais tempo na América do Norte



megan_1AD003A4-A837-4151-B1DC-C1D49C6B2B2F.JPG Megan e Harry (Foto: Reuters)
13/01/2020 às 15:50

A rainha Elizabeth deu sua bênção ao desejo do neto príncipe Harry e da esposa Meghan por um futuro mais independente, após uma reunião de emergência nesta segunda-feira para resolver uma crise na família real britânica.

Harry e sua esposa norte-americana Meghan provocaram a crise ao anunciar na semana passada que desejavam abdicar de seus compromissos reais e passar mais tempo na América do Norte.



Após uma reunião na residência rural da rainha em Sandringham, no leste da Inglaterra, que também contou com a presença do pai de Harry e herdeiro do trono, príncipe Charles, e do irmão mais velho de Harry, príncipe William, a rainha disse que a família apoia os planos do casal.

“Embora nós preferíssemos que eles permanecessem membros em tempo integral da Família Real, respeitamos e entendemos o desejo deles de viver uma vida mais independente como família, mantendo uma parte valiosa da minha família”, disse a monarca, de 93 anos, em comunicado.

“Harry e Meghan deixaram claro que não querem depender de fundos públicos em suas novas vidas. Portanto, foi acordado que haverá um período de transição em que os Sussexes passarão algum tempo no Canadá e no Reino Unido”.

O anúncio chocante de Harry, de 35 anos, e Meghan, de 38, expôs divisões na família Windsor e provocou um questionamento sobre o que significa ser um membro da realeza no século 21.

O casal não consultou nem a rainha nem Charles sobre o anúncio, feito no Instagram e em seu próprio site — um passo visto como impertinente e prematuro por uma família cujas raízes remontam a 1 mil anos de história da Europa.

Atualmente, Meghan está no Canadá com o filho de colo, Archie. Esperava-se que ela participasse da reunião por telefone.

Ela e Harry disseram querer um papel “progressista” para si mesmos e independência financeira, o que pode significar trabalhar nos Estados Unidos, terra natal de Meghan, que é atriz.

Mas não está claro como eles conseguiriam um rompimento parcial com seus compromissos reais —o que parte da mídia apelidou de “Megxit”, um trocadilho com Brexit, a tortuosa saída britânica da União Europeia—, ou quem pagará por seu estilo de vida transatlântico.

“Estes são assuntos complexos para minha família resolver, e há mais trabalho a ser feito, mas pedi que as decisões finais sejam tomadas nos próximos dias”, disse a rainha em seu comunicado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.