Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Administração

Rede Calderaro de Comunição segue em frente com nova presidente

Tereza Cristina Calderaro Corrêa assume o comando da rede de comunicação criada pelo pai, o jornalista Umberto Calderaro, há 67 anos



cristina.JPG Cerimônia de posse da empresária como presidência da Rede Calderaro ocorreu no parque gráfico do jornal criado por Umberto e Ritta / Foto: Antônio Lima
09/07/2016 às 15:48

A Rede Calderaro de Comunicação (RCC) entra agora em uma nova fase da sua história de 67 anos. Herdeira dos valores, criatividade e visão de futuro de Umberto Calderaro Filho, Tereza Cristina Calderaro Correa assume a presidência da RCC em um momento de desafios familiares, com a perda de sua mãe, Ritta Calderaro - que era presidente do grupo -, no dia 25 de junho.

 Sua missão é dar continuidade ao trabalho semeado por seu pai, Umberto Calderaro Filho, um dos mais destacados empresários de comunicação do Brasil, que fomentou o crescimento do maior grupo de comunicação da região Norte, hoje formado por 11 empresas: jornal A CRÍTICA, TV A Crítica, Rede TV, rádio A Crítica, rádio Jovem Pan, Elemídia, RCC Mídia, Meu Tambaqui, Jornal Manaus Hoje, dentre outros. 

A nova gestão, o crescimento das empresas, a implantação do conselho de administração e o modelo de sucessão estão nas prioridades de Cristina, que aos 60 anos, vem pavimentando o futuro que será trilhado pelos quatro filhos e netos.

Preservar a memória dos pais e seguir o exemplo em defesa da sociedade pelo jornalismo responsável é a missão de Cristina Calderaro, que  se inspira nos seus pais ao deixarem como legado o bem mais intangível que ela poderia herdar: bons valores e caráter. Do pai, morto em 1995, foram destaques a paixão pelo jornalismo, a generosidade, a liderança e o carisma. Da mãe, a firmeza, a disciplina e, ao mesmo tempo, doçura.

“É um momento de perda da minha mãe, mas que tenho consciência que meu compromisso aumentou muito mais; agora recai pelas duas partes. Meus pais tiveram características totalmente diferentes. Mas os dois completaram o sonho da obra. Minha mãe foi um grande esteio, ele não fazia nada sem o aval dela”, contou.

 Nascida no ambiente de jornal, ela conta que, nos primeiros anos da empresa, ajudava o pai até a fotografar as pautas e foi aprendendo o ofício no dia a dia da redação, ainda no Centro de Manaus. “O jornalismo entrou na minha vida com cinco anos de idade. Fui criada dentro do jornal. Costumo dizer que não tive aulas dadas pelo papai, nem roteiros. Eu tive exemplos ao acompanhar a vida dele”, lembrou.

Experiência

Cristina estudou administração de empresas e fez cursos livres de jornalismo nos Estados Unidos, onde ganhou a credencial para ser correspondente internacional. Assim se inscreveu para participar da cobertura das prévias presidenciais do Partido Democrata e passou a acompanhar, por um período, a campanha de Barack Obama, em 2008. A experiência lhe rendeu um convite honrado: prestigiar a posse do primeiro presidente negro dos Estados Unidos, em Washington, em 2009, um momento em que representou A CRÍTICA internacionalmente.

 “Sou uma apaixonada por papel, uma defensora do papel, acho que nunca vai acabar. Eu vibro muito com essa coisa do jornalismo impresso, isso está no meu DNA”, disse sobre sua missão.

Família sempre na base de tudo

 


União familiar e o respeito aos parceiros e colaboradores são legados de Umberto e Ritta Calderaro / Foto: Evandro Seixas

 

O modelo de sucessão está sendo construído com muito trabalho e responsabilidade, ressaltou Cristina Calderaro que está preparando os filhos e netos para darem continuidade com brilhantismo ao projeto iniciado por seu pai.

As mudanças sinalizam novidades boas para o mercado anunciante e para os consumidores de notícia, que serão anunciadas em breve.

“Estamos cheios de novos projetos, pensando em novos negócios, principalmente na área de tecnologia e televisão. No jornal vamos passar por uma pequena reforma editorial e gráfica”, contou a presidente da RCC.

Cristina será auxiliada pelos herdeiros diretos na posição equânime de vice-presidentes: Dissica Tomaz Calderaro assume a vice-presidência na parte de rádio difusão, enquanto Umberto Tomaz Calderaro assume a parte do jornal e de novos negócios.

A preocupação com a continuidade e crescimento do grupo é sua meta na presidência da RCC. “As empresas cresceram com ajuda dos meus filhos, dos funcionários, dos investimentos que nós fizemos, em pessoal. Eu já penso até nos meus netos”, frisou.

O grupo ganha também um conselho administrativo que deve ser instalado nos próximos 60 dias. A presidência do Conselho de Administração ficará a cargo de Cristina, auxiliada na vice-presidência pela primogênita Tatiana Calderaro Tomaz, com formação em administração e marketing. O conselho terá três membros externos, formado pelo advogado Júlio Antônio Lopes e dois técnicos com expertise e experiência de sobra, que ainda serão anunciados.

Caminho para o futuro


Cristina Calderaro fez questão de celebrar a posse como nova presidente do Grupo no parque gráfico do jornal A CRÍTICA,
um dos setores preferidos de seu pai, Umberto Calderaro Filho / Foto: Clóvis Miranda

A importância da mídia livre e a função social do jornalismo foram destacados por empresários, políticos e autoridades que estiveram na posse da presidente da Rede Calderaro de Comunicação, Tereza Cristina Calderaro Corrêa, na tarde da última sexta-feira (8).

A celebração contou com a presença do governador do Amazonas José Melo; do prefeito de Manaus, Artur Neto; do presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Flávio Pascarelli, além de empresários de destaque no Estado, como Antônio Silva (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas - Fieam), José Azevedo (Presidente do Grupo TV Lar) e Belmiro Vianez.

O momento do qual participaram os filhos Tatiana, Dissica, Umberto e Chris, além dos netos Leonardo e Alexandre e da nora Fernanda, foi presenciado por todos os colaboradores que fazem a força do grupo RCC no Amazonas. Como ato simbólico, Cristina Calderaro recebeu das mãos do funcionário mais antigo do grupo, com 45 anos de casa, Antônio Mendes, a chave da impressão, para fazer o ‘jornal rodar’.

“Minha vida é o papel, é acordar de manhã e olhar o jornal. Minha vida é o resultado do jornalismo, do dia a dia de um grupo de comunicação”, disse a presidente da RCC.

O momento também foi lembrado pelas associações de classe, que reconhecem na Rede Calderaro de Comunicação a relevância para a democracia e qualidade jornalística.


Colaboradores do jornal saudaram a nova presidente reforçando o orgulho de todos
em fazer parte da família A CRÍTICA / Foto: Clóvis Miranda

O presidente da TV A Crítica, filiada da rede Record, Dissica Tomaz Calderaro, destacou com carinho o legado da mãe. “Tenho dentro do meu coração, minha mãe, muito para te falar. A minha mãe é a mais Calderaro de todas: simples, de uma humildade tremenda. Tudo que somos devemos a ela que nos dá um exemplo tremendo. Você nos ensinou a querer fazer melhor. Estamos aqui para te ajudar. Com todo meu amor, boa sorte, sucesso com suas mãos que fazem acontecer as coisas de forma muito especial”.

Beto Calderaro ressaltou o compromisso do trabalho daqui para frente. “É um momento único por dois motivos: 1) poder dividir a experiência e o conhecimento, por estar ao lado dela como subordinado. 2) Num momento de muita mudança em relação à mídia, eu poder ter como minha presidente minha mãe, pela experiência que ela tem, é importante. A crise econômica torna esse compromisso ainda maior. A função que eu e meu irmão, com muita confiança e muita tranquilidade, recebemos. Temos muita coisa para evoluir, mudar e crescer”.

Cristina Calderaro finalizou o reforçando sua responsabilidade. “Meu maior desafio é pavimentar o caminho para o futuro”.

Blog: Artur Neto, prefeito de Manaus

 “Isso  aqui é uma lição de vida porque logo ao chegar seu Umberto, que era um querido amigo, estava ali me recebendo na entrada.  Vimos os funcionários aplaudindo a escolha dessa família, Dissiquinha e Beto preparados para administrar a casa, Cristina muito bem casada com Mário Júnior. Seu Umberto e professora Ritta eles plantaram uma realidade que é a RCC. Passaram momentos muito difíceis, não era sensato fazer um jornal parar de funcionar. Seu Umberto passou para Cristina, que vai saber fazer com brilhantismo, que saberá passar para os filhos. Era o sonho de Umberto Calderaro: dar continuidade a isso tudo”.

Blog: Flávio Pascarelli, presidente do TJ-AM

 “Pela importância da própria Rede Calderaro esse é um momento muito importante para a sociedade amazonense.  Como bem disse a Cristina, ela é uma mulher de luta e está numa instituição também de luta, que é a imprensa. Então temos um ponto em comum: ambos lutamos pela liberdade. Nós garantimos a liberdade e vocês fazendo a liberdade através da expressão de seus jornais, rádios e emissoras de televisão”, destacou o desembargador também recém-eleito e empossado esta semana na presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ–AM) com os demais dirigentes do Poder Judiciário.

Blog: Antônio Silva, presidente da Fieam

 “Eu  acompanhei o sucesso e a perseverança que seu Umberto tinha na Rede Calderaro de Comunicação.   O processo sucessório começou com especialista na área de governança. Aí veio Dissica que foi estudar fora, Beto, Cristina. Dona Ritta foi minha professora no IEA, parte do que sou hoje devo a ela. Dona Ritta cumpriu a missão dela, e Cristina está continuando com clima de harmonia. A história está sendo escrita e ela é parte dessa história. Dissiquinha soube fazer a transição no momento certo, na liderança. Muitas empresas familiares não chegam na três geração, aqui é a prova de que já estamos na terceira geração”.

Blog: José Azevedo, presidente da TV Lar

 “O que estamos hoje presenciando é que Calderaro e esposa, sozinhos, começaram um empreendimento com uma coragem muito grande. Era um jornal pequeno na rua Lobo D’Almada, eu acompanhei desde o início. A Cristina ainda era pequena. E hoje o que presenciamos aqui aquela máquina imprimindo o jornal, vimos a família reunida, a estrutura familiar integrada à empresa. Isso dá uma segurança de que a empresa tem continuidade. A filha se formou dentro da empresa e os filhos ajudando de maneira participativa e direta. Agora os netos aqui rondando no ambiente. É um conglomerado de empresa que está de parabéns”.

Blog: Carlos Fernando Lindenberg Neto, presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ)

“Em meu nome e da ANJ, desejo felicitá-la por assumir a presidência da Rede Calderaro de Comunicação (RCC), da qual faz parte A Crítica, fundada em 19 de abril de 1949 pelo notável empreendedor que foi Umberto Calderaro Filho. Tenho certeza que A Crítica e a RCC, sob sua presidência, seguirão desempenhando o papel de legítimos e vigorosos representantes da sociedade amazonense. O engajamento do jornal e dos demais veículos da RCC na defesa dos interesses da Amazônia, sua capacidade de informar a comunidade e de atender às suas demandas por meio de um jornalismo de qualidade e uma atualização permanente ganharão novo impulso sob sua condução. A ANJ orgulha-se de ter A Crítica como associada na certeza de que o jornal, impresso ou em plataformas digitais seguirá prestando valiosos serviços a seus públicos e parceiros de negócios”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.