Sábado, 20 de Julho de 2019
EDUCAÇÃO

Escolas estaduais no AM ainda têm 100 mil vagas abertas para o ano letivo 2018

Secretário de Educação pediu, durante evento de abertura do ano letivo 2018, o retorno das cerca de 40 mil pessoas que abandonaram os estudos nos últimos anos



win.JPG Foto: Winnetou Almeida
16/02/2018 às 05:16

Aproximadamente 40 mil pessoas abandonaram os estudos nos últimos anos no Amazonas. A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) quer que elas voltem às salas de aula este ano. A convocação foi feita pelo titular da pasta, Lourenço Braga, nessa quinta-feira (15), durante a abertura do ano letivo da rede estadual 2018. De acordo com ele, a Seduc tem mais de 100 mil vagas disponíveis nas escolas.

“Voltem! Aproveitem a oportunidade que o Estado lhes está garantindo. O direito de vocês está garantido. Voltem a estudar. Ajudem a gente a quebrar o paradigma do afastamento da escola”, enfatizou. 

O secretário da Seduc aproveitou ainda a solenidade de abertura, realizada no auditório do Centro de Formação Profissional Padre José de Anchieta (Cepan), no bairro Japiim 2, Zona Sul de Manaus, para anunciar uma série de ações previstas para este ano. Entre as quais está o concurso público com 8,2 mil vagas para professores, técnicos e agentes administrativos em todos os municípios do interior.

O edital do certame está previsto para ser lançado no mês de março.

Também está garantida para o próximo mês, a data-base dos professores, de acordo com Lourenço Braga. Já o auxílio-alimentação será ampliado para todos os servidores da educação a partir de abril. “Não há nenhuma dúvida disso. Nós vamos cumprir a data-base estabelecida para a educação”, garantiu. “Hoje só quem recebe o vale-alimentação são professores e técnicos da secretaria. Os funcionários não recebem. A partir de abril todos vão receber”, garantiu. 

O investimento na capacitação dos professores da rede é outro ponto que será feito pela Seduc por meio do “Projeto Qualificar”, que ofertará cursos de especialização, além de mestrado em educação. “Não se faz educação sem professor competente na sala de aula. Nós precisamos dar aos nossos professores uma qualificação que os atualize em didática, metodologia do ensino, pedagogia e no conhecimento das disciplinas com que cada um trabalha“, disse o secretário. 

Para ele, o desafio maior é fazer uma educação de qualidade. “Nós queremos chegar ao final do ano tendo batido a nota 6 que o MEC (Ministério da Educação) fixa como média (no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb). Estamos um pouco abaixo disso, chegamos 4,9/4,8 no ensino do primeiro grau e 4,6 no ensino médio. Eu quero passar de 6. Quero fazer um ensino de qualidade. Quero fazer uma educação que nos permita bater esse piso que eu estou chamado de nota mínima e não de média. Para mim, o importante é chegar em 8 e não em 6”, disse.

Do total de alunos matriculados nas escolas estaduais, 232.159 são para as unidades  da capital e 214.572  do interior. Os estudantes estão matriculados nas modalidades de ensino fundamental (1º ao 9º ano), ensino médio (1º ao 3º ano), Educação de Jovens e Adultos (EJA) e tempo integral.

Professores relatam falta de merenda escolar

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), professores de Fonte Boa, Urucurituba, Nova Olinda, Manaquiri,  Humaitá, Lábrea e Eirunepé informaram, nessa quinta-feira (15), que não há merenda nas escolas da rede estadual onde lecionam. Conforme o presidente da entidade, Marcus Libório, as despensas das escolas começaram a ser abastecidas de quarta (14) para quinta-feira (15). 

A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) disse que a informação não procede. Que o ano letivo teve início normalmente. “As aulas nas escolas de tempo integral da capital aconteceram somente no período da manhã, porque no período da tarde os professores participaram de atividades pedagógicas. Mas amanhã (hoje, sexta-feira,15) o dia será normal. Não há falta de merenda nas escolas da rede estadual e os estoques foram repostos com antecedência”, disse em nota.

Duzentos dias de aula

O ano letivo de 2018 da rede estadual do Amazonas terá 200 dias letivos de atividades escolares, conforme informou ontem a Secretaria  de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) em coletiva de imprensa. As aulas começaram ontem e devem seguir até o dia 17 de dezembro deste ano.

LEIA MAIS

Secretário anuncia projeto de preparação de alunos para vestibular e Enem

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.