Publicidade
Cotidiano
Notícias

Redução de tarifa vai impactar 1 milhão de brasileiros

Redução de 91% a 97% para ligações de telefone fixo vai beneficiar 24 cidades, entre elas duas no AM 22/10/2013 às 07:31
Show 1
De forma escalonada, a mudança entrará em operação até o fim de 2014
jornal a crítica ---

Para aproximar os brasileiros de 24 cidades na fronteira do Brasil da população de seus vizinhos de outros países, a Oi reduzirá, de 91% a97%, os preços das ligações de telefones fixos. A estimativa é que a redução beneficie cerca de 1 milhão de brasileiros em 24 cidades de nove estados brasileiros.

De forma escalonada, a mudança entrará em operação em todasas cidades até o fim de 2014. No Amazonas duas cidades Benjamin Constant e Tabatinga, localizadas no Alto Solimões, terão o benefício da companhia telefônica.

Em algumas dessas localidades, telefonar para quem está dooutro lado da rua, mas em outro País, custa uma ligação internacional. Agora, as ligações de telefone fixo entre cidades como Oiapoque, no Amapá, e Saint George de L´Oyapock, na Guiana, por exemplo, vão custar o mesmo que uma chamada local.

A ligação deverá ser feita discando 00 + 31 + o código dopaís + o código da cidade + número do telefone. A redução das tarifas, que éuma forma de auxiliar o fomento do desenvolvimento dessas localidades, está em linha com a diretriz da companhia de oferecer soluções locais inovadoras, para atender às diferentes demandas dos clientes. Nesse caso, usuários dos serviços que se relacionam no dia-a-dia com moradores e comerciantes de cidades de outros países. Atualmente, cidades do Rio Grande do Sul já têm esse benefício,que será estendido ao Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rondônia,Roraima, Amazonas, Acre e Amapá. O benefício é para cidades do Brasil coladas em outras nos países fronteiriços.

Banda Larga

Acre, Amazonas, Pará, Amapá, Rondônia, Roraima, Tocantins,Mato Grosso e oeste do Maranhão - que integram a Amazônia Legal - poderão ter regras específicas para as obrigações de universalização de serviços por partedas operadoras de telecomunicações, incluindo a ampliação da infraestrutura debanda larga. É o que prevê o Projeto de Lei do Senado (PLS) 250/2011, do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), que será votado nesta terça-feira (22) na Comissão de Ciência,Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT).

O PLS 250/2011 aumenta as exigências das metas de universalização a serem cumpridas na Amazônia Legal, estabelecendo que a densidade de “orelhões” deverá ser no mínimo 50% maior do que nas demais regiões e o espaço geográfico entendido como área local pelas operadoras (e quetem tarifação mais barata nas ligações) deverá ser determinado utilizando parâmetros pelo menos três vezes maiores do que no restante do país, devido às grandes distâncias entre as localidades.

Ao justificar a proposta, Flexa Ribeiro argumenta que “se o avanço da telefonia móvel em todo o país tem sido suficiente para justificar a redução na densidade dos ‘orelhões’, essa ainda não é a realidade de muitaslocalidades no Norte.


Publicidade
Publicidade