Publicidade
Cotidiano
Notícias

Reforma Administrativa: Prefeito de Manaus, Artur Neto deve cortar seis pastas até o dia 15

Três cenários diferentes foram apresentados ao prefeito, que pretende anunciar as mudanças estruturais de corpo técnico da sua gestão em janeiro 06/01/2015 às 11:02
Show 1
Prefeito passou o dia desta segunda (5) avaliando as mudanças na administração
Luciano Falbo Manaus (AM)

O prefeito Artur Neto (PSDB) tem em mãos três cenários para adotar na reforma administrativa que pretende fazer na Prefeitura de Manaus. As mudanças na estrutura da administração e os nomes dos novos secretários deverão ser anunciados até o próximo dia 15. Artur desejava a reforma mais radical, que implicaria no corte de 10 secretarias, mas, segundo o secretário de Governo, Márcio Noronha, a reforma deve fechar com o corte de cinco ou seis pastas.

Márcio Noronha disse que a reforma mais radical é praticamente inviável, levando em consideração a burocracia necessária para tirar o plano do papel. “O prefeito disse que por ele faria uma (reforma) radical. Mas acaba ficando inviável por conta de muitas mexidas legais que são necessárias e revisão de convênios. Devem ser cortadas entre cinco e seis secretarias”, afirmou. “Isso não quer dizer que não possa pegar ideias de um e colocar no outro cenários”, completou.

“A Semgov (Secretaria Municipal de Governo) fez um estudo de três cenários para a reforma. O radical seria o corte de 10 secretarias. O moderado corta cinco e o leve corta três”, explicou Noronha. De acordo com ele, a reforma deverá trazer uma economia média de, no mínimo, R$ 6 milhões por ano. “Pode chegar a R$ 10 milhões dependendo do número de cortes que o prefeito decidir e do cenário que ele escolher”, disse Noronha.

Durante entrevista a uma rádio local na manhã desta segunad-feira (5), o prefeito disse que até o dia 15 deve anunciar as mudanças estruturais de corpo técnico da sua gestão. Na entrevista, ele informou também que todos os secretários de sua administração já colocaram seus cargos à disposição para as eventuais mudanças no comando das pastas.

Entre as mudanças esperadas está perda de “status” de secretaria de algumas pastas como órgãos da administração indireta e fundações, que seriam subordinadas a secretarias de maior porte. Atualmente, a Prefeitura de Manaus possui 25 pastas: 18 secretarias, e sete outros órgãos da administração indireta. “Não quero passar de 19 ou 20 secretarias ao todo. Eu quero ter menos secretários. Quero ficar com menos interlocutores”, disse o prefeito, em referência aos cortes que pretende fazer na administração. Artur afirmou ainda que o início da segunda metade do seu mandato será “o recomeço de um governo”. “Não vou me acomodar. Vou continuar a trabalhar como em 1º de janeiro de 2013”, ressaltou.

Diferentemente do Governo que pretende anunciar as mudanças “à conta gotas”, o anúncio da prefeitura será único. Antes, era previsto que Artur Neto e o governador José Melo (Pros) fizessem um anúncio conjunto.

Troca de comando na Seminf

Fontes da prefeitura, que preferiram não se identificar, confirmaram, ontem, que é “quase certa” a indicação do atual titular da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, para assumir a Secretaria de Infraestrutura (Seminf). A informação foi publicada na coluna Sim&Não na edição de ontem.

Conforme a coluna, nos bastidores, corre a informação de que a primeira-dama Goreth Garcia pode deixar a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semasdh) para assumir a Manauscult. Outro nome cotado para a pasta de cultura é do artista Zezinho Cardoso. Já Lourenço Braga, atual chefe da Casa Civil, ficaria fora do primeiro escalão da administração.

O secretário de Governo, Márcio Noronha, afirmou, ontem, por telefone, que ainda não há nada definido e que as informações são apenas “especulações”.

Publicidade
Publicidade