Terça-feira, 25 de Junho de 2019
Notícias

Reformas em aeroportos do AM vão baratear preços de passagens

Com aeroportos em condições ideais, companhias aéreas devem ampliar oferta de assentos, reduzindo custo de passagens para o Amazonas 



1.jpg Novas pistas vão possibilitar operações com aeronaves maiores, como o ATR-600, que transportam até 70 passageiros
12/05/2015 às 10:20

Secretaria de Aviação Civil do governo federal vai investir aproximadamente R$ 1,7 bilhões em reformas de aeroportos e pistas de 25 municípios do Amazonas. Uma consequência das obras será a redução nos preços médios das passagens intermunicipais dentro do prazo de oito meses, segundo previsão dos técnicos da secretaria.

Por meio de uma articulação com a Associação Amazonense dos Municípios (AAM), os representantes da secretaria estiveram em Manaus para checar as reais condições dos aeroportos que precisam ser completamente reformados.

Atualmente, o custo das passagens aéreas para municípios do interior do Estado tornam as viagens inacessíveis para a maior parte da população. Para se ter uma ideia dos valores atuais das viagens aéreas dentro do Amazonas, o trecho entre Manaus e Eirunepé (a 1.159 quilômetros da capital) custa até R$ 1.589 mil. Para ir para São Gabriel da Cachoeira (distante 852 quilômetros de Manaus) é preciso desembolsar, no mínimo, R$ 1.129.

“A aviação intermunicipal no Amazonas está completamente sucateada e com preços realmente impraticáveis. Quem precisa percorrer grandes regiões sofre com falta de estrutura aeroportuária, altos preços e condições perigosas de voo, com aeronaves que nem sempre estão com a manutenção em dia. A Associação Amazonense dos Municípios, junto à Secretaria de Aviação Civil do governo federal está realizando um estudo completo sobre a situação desses aeroportos”, afirmou o presidente da AAM e prefeito de Boca do Acre, Iran Lima (PSD).

De acordo com o diretor de Programa Federal de Aeroportos da Secretaria de Aviação Civil, Eduardo Bernardi, os preços das passagens aéreas nesses trechos serão reduzidos, pois aviões de maior porte (como o ATR 600 – com capacidade para mais de 70 passageiros) poderão fazer pousos e decolagens nas novas pistas. “Isso vai gerar um fluxo maior de vôos e de companhias aéreas que atuam na região”, explicou o diretor.

obras A Secretaria de Aviação Civil do governo federal fez um levantamento inicial e os 25 aeroportos precisam ser completamente reformados, com a construção de novos terminais de passageiros, pistas e balcões de atendimentos.

O prazo estimado pela Secretaria de Aviação Civil é de que os primeiros aeroportos comecem a ser reformados já nos próximos três meses. Eduardo disse, ainda, que a AAM tem papel fundamental para a agilidade no início das obras. “A Associação faz a interface com os prefeitos que ainda não entregaram os documentos necessários para o início das obras, exercendo um papel importante no processo”, explicou.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.