Publicidade
Cotidiano
BARCO PAI

Região de alta transmissão da malária, calha do Juruá terá distribuição de mosquiteiros

Os atendimentos, feitos pelo barco PAI "Todos pela Vida", começarão por Envira, na terça-feira (28). Depois seguirá para Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati, Carauari e Juruá 23/03/2017 às 17:54
Show barco pai033
A embarcação leva serviços de cidadania e saúde às populações de comunidades ribeirinhas. Foto: Ismael Neves/ Divulgação
acritica.com Manaus

Considerado pedra angular no controle da malária pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os mosquiteiros impregnados com inseticidas serão distribuídos pelo Governo do Amazonas durante as viagens do barco do Programa de Atendimento Itinerante (PAI) “Todos pela Vida”. A embarcação leva serviços de cidadania e saúde às populações de comunidades ribeirinhas e indígenas de difícil acesso e inicia agenda de atendimentos pelas cidades da calha do Juruá, região de alta transmissão da malária no Estado.

A embarcação foi reformada e reequipada pelo Fundo de Promoção Social (FPS), presidido pela primeira-dama Edilene Gomes de Oliveira. Além dele, outros dois barcos que levam atendimentos de cidadania e saúde ao interior receberam investimentos de R$ 7 milhões para retomada das atividades. Os atendimentos começarão por Envira (a 1,208 quilômetros de Manaus) na próxima terça-feira, dia 28 de março. Depois, o barco seguirá para Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati, Carauari e Juruá.

A distribuição do mosquiteiro impregnado com inseticidas é uma das estratégias usadas pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) para reduzir o número de casos de malária no Amazonas. Em 2016, o Estado conseguiu diminuir em 34,4% a quantidade de novos casos da doença frente ao ano anterior. Na região do Juruá, por onde o barco PAI inicia viagem, a redução foi expressiva e alcançou 72% no período. Os números englobam Carauari, Eirunepé, Envira, Guajará, Ipixuna e Itamarati.

De acordo com o gerente de doenças transmitidas por vetores da FVS, Elder Figueira, o Juruá é uma região historicamente de alta transmissão da malária e considerada prioritária no reforço de ações para o controle da doença. Em Eirunepé, a FVS distribuiu sete mil mosquiteiros, medida apontada como de grande impacto para a diminuição de casos.

“A FVS intensificou a busca ativa nas casas, realiza o diagnóstico e trata os casos positivos, fazendo ainda e instalação dos mosquiteiros. Em todo o Estado, o governo entregou 20 mil mosquiteiros. Eles têm na malha um cristal de microcápsulas de inseticida que mata o mosquito quando ele tenta picar a pessoa que está protegida. São duas vantagens: a barreira física e a barreira do inseticida”, ressaltou Figueira.

No barco PAI “Todos pela Vida” foram embarcados 600 mosquiteiros. Os produtos serão distribuídos especialmente para as famílias das comunidades ribeirinhas e indígenas, localidades de difícil acesso e que serão alcançadas com a embarcação.

A equipe de assistentes sociais do barco PAI fará as visitas domiciliares nas comunidades para identificação das necessidades. As famílias contempladas assinam um termo de recebimento.

*Com informações da asessoria.

Publicidade
Publicidade